Mandela, 101 anos: confira atrações dedicadas ao líder sul-africano

Durante séculos, a África exportou para o mundo, involuntariamente, seus filhos para terras distantes do outro lado do Atlântico. Suas línguas maternas ganharam novas palavras, seus sons se fundiram em outros ritmos e sua história foi apagada em nome de uma cultura desconhecida que lhe fora imposta por estrangeiros.
Mas agora o caminho é contrário.
Se há pouco mais de 20 anos, a África do Sul recebia 3,4 milhões de forasteiros, os números atuais já ultrapassam os 13 milhões de pessoas que desembarcam naquelas terras, anualmente.
Para celebrar o 101º aniversário de Nelson Mandela e os 25 anos de democracia na África do Sul, quando Madiba se transformou no primeiro presidente a ser eleito democraticamente, em 1994, o Viagem em Pauta selecionou os endereços mais marcantes, relacionados a esse líder sul-africano.
Ube nohambo oluhle, como se diria “boa viagem”, em língua zulu.

Imagem de Nelson Mandela, no Apartheid Museum, em Joanesburgo (foto: Eduardo Vessoni)
Imagem de Nelson Mandela, no Apartheid Museum, em Joanesburgo (foto: Eduardo Vessoni)

PREPARE-SE: “África do Sul pela 1ª vez: confira dicas e roteiros”
JOANESBURGO
Principal porta de entrada para a África do Sul e capital da província de Gauteng, essa cidade com mais de 5 milhões de habitantes concentra o maior número de atrativos relacionados a um dos períodos mais dolorosos do país: o apartheid.

Apartheid Museum

O local reconta a história do sistema separatista criado pelo holandês Hendrik Frensch Verwoerd que, na África do Sul, durou de 1948 a 1994.
Pioneiro em seu gênero, o museu multimídia abriga salas temáticas sobre a classificação de raças, a segregação e a histórica eleição de 94. As duas portas de ferro na entrada que selecionam o visitante de acordo com a cor da pele dá uma ideia do que se pode encontrar lá dentro. Visitantes negros devem usar o acesso para brancos e brancos têm acesso pela porta onde se lê “Não-brancos”.
Constitution Hill


Este monumento nacional está localizado em um forte do final do século 19 e foi responsável pelo isolamento de líderes que lutaram contra o apartheid, como Mandela e o indiano Gandhi, prisioneiros da Guerra dos Bôeres e manifestantes presos do Soweto.
No tour guiado, é possível conhecer a atual Corte Constitucional da África do Sul, o forte de 1893, a penitenciária feminina que abrigou nomes como Winnie Mandela e Albertina Sisulu e a temida Number Four, o edifício principal que abrigava as celas locais.
Mandela House

Essa antiga casa de tijolos a vista foi uma das residências de Mandela, quem dividiu os cômodos minúsculos com duas de suas esposas, e abriga um acervo discreto com objetos, fotografias, documentos e móveis da época.
Localizada no Soweto, cidade próxima a Joanesburgo, a construção se encontra no número 8115 da Vilakazi Street, declarada a única rua do mundo a abrigar dois Nobel (Mandela e o arcebispo Desmond Tutu). 
VEJA TAMBÉM: “70 anos sem Mahatma Gandhi: confira endereços turísticos pelo mundo”
CIDADE DO CABO

Robben Island

Uma das mais populares atrações turísticas do país, essa ilha guarda boa parte da história política de Mandela.
Foi ali que o líder esteve confinado por 19 anos, entre 1963 e 1982. Declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a ilha fica a 11 km da Cidade do Cabo e abriga celas como a de Mandela (o famoso prisioneiro 466/64) e instalações como cemitério, hospital e escola instalados no local.
Os tours são feitos de ônibus, com direito a uma parada estratégica para avistar a bela Montanha da Mesa, e são guiados por ex- presidiários.
Nobel Square

Praça localizada no V&A Waterfront com esculturas dos quatro sul-africanos que já ganharam Prêmio Nobel: Nelson Mandela, Desmond Tutu, o ex-presidente Frederik Willem de Klerk e o ativista Albert Luthuli.
O roteiro dedicado a Nelson Mandela segue em Zwazulu-Natal, província da costa leste da África do Sul, conhecida por suas praias banhadas pelas águas do Índico.
Capture Site (foto: Reprodução)
Capture Site (foto: Reprodução)

Um do destaques é o The Capture Site(“Lugar da Captura”), onde Mandela seria preso, nos anos 60, e começaria seus 27 anos de prisão.
No local, uma escultura com 50 hastes de aço de até 9,5 metros de altura dão forma à imagem de Mandela e recepcionam os visitantes nesse memorial com exposições temporárias.
LEIA TAMBÉM: “Dormindo com leões: clássico da hotelaria completa 40 anos, na África do Sul”

VEJA FOTOS

  • Umhlanga Beach, em Durban, na província de Zwazulu-Natal, África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)
    Umhlanga Beach, em Durban, na província de Zwazulu-Natal, África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

  • Soweto, na África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

  • Mandela Square, na Cidade do Cabo (foto: Eduardo Vessoni)
    Mandela Square, na Cidade do Cabo (foto: Eduardo Vessoni)

  • Apartheid Museum, em Joanesburgo (foto: Eduardo Vessoni)
    Apartheid Museum, em Joanesburgo (foto: Eduardo Vessoni)

  • Mandela House, no Soweto, na África do Sul (fotos: Eduado Vessoni)
    Mandela House, no Soweto, na África do Sul (fotos: Eduado Vessoni)

  • Mandela House, no Soweto, na África do Sul (fotos: Eduado Vessoni)
    Mandela House, no Soweto, na África do Sul (fotos: Eduado Vessoni)

  • Localizada no Soweto, a Vilakazi Street é a única rua do mundo a abrigar as antigas residências de dois Nobel: Mandela e o arcebispo Desmond Tutu (foto: Eduardo Vessoni)
    Localizada no Soweto, a Vilakazi Street é a única rua do mundo a abrigar as antigas residências de dois Nobel: Mandela e o arcebispo Desmond Tutu (foto: Eduardo Vessoni)

  • Imagem de Nelson Mandela, no Apartheid Museum, em Joanesburgo (foto: Eduardo Vessoni)
    Imagem de Nelson Mandela, no Apartheid Museum, em Joanesburgo (foto: Eduardo Vessoni)

  • Vista da Cidade do Cabo, na África do Sul (foto: Eduardo Vessoni)

1 Trackback / Pingback

  1. 150 anos de Mahatma Gandhi: confira atrações - Viagem em Pauta

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*