Goiás das águas doces

Rei do Prata, em Cavalcante, um dos municípios da Chapada dos Veadeiros (foto: Eduardo Vessoni)
A praia mais próxima de Goiás fica em São Paulo, a 1.300 km dali, mas esse estado do Centro-Oeste fez das águas doces sua praia (e o atrativo natural mais popular do turismo local).

Tem rio de água, naturalmente, quente que emerge a mil metros de profundidade; trilhas que terminam em piscinas naturais de borda infinita; praias às margens de um rio que cresce discreto e se agranda até o limite com o vizinho Tocantins; cachoeiras que caem na boca de cavernas; e até rios agitados que rasgam a maior concentração de cavernas da América Latina.

O que não falta nesse roteiro são destinos goianos que têm a água como protagonista, desenhados para famílias, aventureiros e viajantes radicais.

LEIA TAMBÉM: “Dicas para economizar na Chapada dos Veadeiros, em Goiás”

CONFIRA DESTINOS

CALDAS NOVAS E RIO QUENTE

No sul de Goiás, a região das Águas Quentes tem mania de grandeza.

É endereço do maior lençol hidrotermal do planeta, vê passar nos fundos de casa o maior rio de águas quentes do mundo; e abriga a maior praia artificial de águas quentes correntes, no maior parque aquático da América do Sul.

A região abriga destinos para o ano todo, faço calor ou frio, como Caldas Novas e Rio Quente.

SAIBA MAIS: “5 atrações diferentes em Caldas Novas e Rio Quente, em Goiás”

CHAPADA DOS VEADEIROS

Berço das águas e endereço de uma das maiores biodiversidades do planeta, o Cerrado é conhecido por sua infinidade de rios e cachoeiras.

Uma das novidades por ali a Cachoeira do Label, em São João d’Aliança, a 70 km de Alto Paraíso. São 187 metros de queda, considerada a maior cachoeira de Goiás e a sexta mais alta do Brasil, entre as cachoeiras abertas para visita.

Outra atração imperdível é o Complexo do Prata, um circuito com cerca de 12 cachoeiras catalogadas, ao longo do Rio Prata, a 64 km da zona urbana de Cavalcante.

LEIA MAIS: “Guia da Chapada dos Veadeiros: novidades, dicas e roteiros”

MAMBAÍ

No extremo nordeste de Goiás, a 357 km de Brasília, o município tem mais de 200 cavernas, suas trilhas em corredores naturais dão acesso a cachoeiras e tem até uma tirolesa a mais de 100 metros que sobrevoa um cânion.

Situada na APA Nascentes do Rio Vermelho, Mambaí ainda é pouco conhecida, inclusive entre os próprios goianos, e tem potencial para o turismo de aventura, com atividades como espeleoturismo, boia cross, tirolesa, rapel, cascading, escalada, trilhas de maior duração e até balançar em uma cachoeira. CONFIRA ATRAÇÕES

TERRA RONCA

No extremo nordeste de Goiás, a região é cenário de uma das experiências de aventura mais fascinantes de Goiás.

O destino abriga quase 300 cavernas, localizadas no interior do Parque Estadual de Terra Ronca (PETeR), como a Terra Ronca, cuja entrada se dá por uma boca de 96 metros de altura e 120 de largura, considerada uma das maiores do Brasil.

Atravessada pelo rio Lapa, essa caverna impressiona pelos salões imponentes de estalactites e estalagmites.

SAIBA MAIS: “Terra Ronca é o Brasil do tempo das cavernas”

RIO ARAGUAIA

Divisor natural entre o Cerrado, o Pantanal e a vegetação amazônica, o Araguaia tem mais de dois mil quilômetros de extensão. Na temporada de vazão, entre julho e outubro, esse rio é responsável pela formação de praias de águas doce, no oeste de Goiás.

Uma das experiências mais impactantes são os cânions do Araguaia, em Baliza, próximo a Ribeirãozinho, no Mato Grosso.

De julho a outubro, expedições descem 70 quilômetros desse rio, em botes infláveis e pernoite em áreas isoladas das margens do rio.

Expedição em botes pelo Rio Araguaia, em Goiás (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Cânions do Araguaia: o Brasil que você precisa conhecer”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*