F. de Noronha tem 1º caso de coronavírus

Praia da Cacimba do Padre, um dos points de surfe da ilha (foto: Eduardo Vessoni)

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco confirmou na última sexta-feira (27) o primeiro caso de Covid-19, em Fernando de Noronha. Trata-se de uma pessoa do sexo masculino com 48 anos que trabalha para a Dix, administradora do aeroporto da ilha.

O funcionário terceirizado, que fazia parte do grupo de cinco casos suspeitos que aguardavam resultado de exames, está em isolamento no alojamento da empresa, bem como as 11 pessoas que tiveram contato com ele.

Todos se encontram em quartos separados e estão sendo monitorados para evitar a propagação do vírus no arquipélago, que ainda aguarda resultado dos exames de outro suspeito.

Segundo informou em nota o administrador da ilha, Guilherme Rocha, já foram feitos os recolhimentos dos testes das onze pessoas que tiveram contato com o rapaz infectado e o material será enviado ao Recife, amanhã (sábado), para análise, assim que chegar o primeiro avião.

“É um caso controlado e o rapaz vai superar essa doença”, tranquilizou Rocha.

Vista parcial da pista do aeroporto de Fernando de Noronha (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “Fernando de Noronha, a Ilha Maldita”

Em nota, a Dix Aeroportos informou que “vem prestando assistência a todos os colaboradores e trabalhando em sinergia com as autoridades locais a fim de mitigar a propagação da pandemia na ilha”.

De acordo com o superintendente de Saúde da ilha, Fernando Magalhães, a circulação do coronavírus já é uma realidade em Noronha, mas a vigilância epidemiológica está preparada para investigações de suspeitas.

O Hospital São Lucas também está preparado para eventuais casos e, recentemente, a Administração de Noronha informou ao jornalista Eduardo Vessoni que a Escola Arquipélago se prepara para receber leitos de campanha.

fonte: Administração de Fernando de Noronha

LEIA TAMBÉM: “Fernando de Noronha para mãos de vaca: dicas para economizar”

Magalhães reafirma que, no momento, apenas uma alternativa é eficaz: “Só existe uma forma de parar a circulação do vírus, que é ficando em casa.”

Uma das preocupações é o fator geográfico, devido ao tamanho reduzido do território de Noronha, o que facilita uma disseminação mais rápida do coronavírus.

Mas o administrador lembrou que, por outro lado, a ilha é favorecida por seu isolamento, o que facilita o controle e a eliminação de forma mais rápida do que no restante do Brasil.

O arquipélago de 26 km² fica a 545 km do Recife.

“Não tem lugar [habitado] mais isolado no Brasil do que Fernando de Noronha. Justamente por isso iremos vencer essa guerra”, completou.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*