No pós-pandemia, Nordeste é preferência dos brasileiros: veja destinos diferentões

A

inda não é hora de fazer as malas, muito menos de cair na estrada.

Com quase 900 mil casos confirmados e mais de 44 mil mortes causadas pela pandemia, só no Brasil, a expectativa no início da pandemia, que já não era nada otimista, está ainda pior.

De acordo com pesquisa do TRVL LAB (Laboratório de Inteligência de Mercado em Viagens), 54,4% dos brasileiros não têm intenção de fazer viagens nacionais “até ter confiança que a pandemia está controlada” e 68,24% não se sentem seguros para sair do país. (Confira pesquisa completa).

Mas adivinha para onde o brasileiro quer viajar na retomada?

Em parceria entre a consultoria MAPIE e a editora Panrotas, a pesquisa aponta que 31,85% pretendem visitar o Nordeste brasileiro, seguido de praias regionais (14,01%), Serra Gaúcha (7,64%) e Rio de Janeiro (6,69%).

Final de tarde na Praia do Farol, em Galinhos, no Rio Grande do Norte (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Com medo e desconfiado, brasileiro ainda deve demorar para viajar”

Ainda assim, vai demorar para o brasileiro voltar a encarar as aglomerações em certos endereços nordestinos. Pelo menos no início, o viajante nacional deve priorizar viagens em pequenos grupos, experiências personalizadas e procura por destinos mais isolados, em contato com a natureza.

“Depois desta crise, as pessoas valorizarão mais as relações humanas. Vão querer passar momentos juntos de seus familiares e buscar saúde e bem-estar em ambientes naturais”, avalia Emerson Antonio de Oliveira, coordenador de Projetos Ambientais da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

Embora seja um dos destinos mais procurados do país, o Nordeste brasileiro ainda esconde endereços onde a gente tem a sensação de ser o primeiro a chegar, seja a pé, de bicicleta ou de barco.

Confira destinos diferentões

⇒ Turismo no ritmo do vento
(Rio Grande do Norte)

Galinhos, península a 170 quilômetros ao norte de Natal, no Rio Grande do Norte (foto: Pousada Peixe Galo/Divulgação)

A 170 quilômetros de Natal, Galinhos segue fazendo turismo no ritmo do vento, em dunas de areia, canais de manguezais e em praias de águas doces. VEJA VÍDEO

SAIBA MAIS: “Galinhos: o Rio Grande do Norte que passa devagar”

 Paraíba selvagem
(Barra do Camaratuba)

Na divisa com o Rio Grande do Norte, uma das experiências mais marcantes da Paraíba são os 13 km de praias selvagens, onde o turismo começa no mangue, segue em águas calmas de rio e termina em faixas de areia recortadas por piscinas naturais. LEIA MAIS

Encontro do rio com o mar, em Barra do Camaratuba, na Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

VEJA TAMBÉM: “Praias imperdíveis da Paraíba”

⇒ Chapada das Mesas
(Maranhão)

Na região sul do estado, a região é daqueles lugares onde cachoeiras lapidam pedras escuras no corredor estreito de um cânion, finais de tarde pintam pedra encantada fincada no meio do rio e o turista tem a sensação de ser o primeiro a chegar por ali.

SAIBA MAIS: “O que fazer na Chapada das Mesas, destino ainda desconhecido do Maranhão”

⇒ Um dos últimos litorais intactos
(Bahia)

 A 210 km de Porto Seguro, no extremo sul do estado, Cumuruxatiba é a Bahia que parece que ainda não foi descoberta.

Ideal para famílias e considerado um dos últimos litorais intactos do estado, esse distrito de Prado tem águas mansas e piscinas naturais bem perto da praia. VEJA VÍDEO

Final de tarde em Cumuruxatiba, no extremo sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Cumuruxatiba é um dos últimos litorais intactos da Bahia”

⇒ Praias isoladas de Prado
(Bahia)

Entre Prado e a vila de Cumuruxatiba, uma estrada simples à beira mar leva visitantes a uma sequência de nove praias isoladas do extremo sul do estado, onde é possível chegar de carro, a pé ou de bicicleta.

O roteiro de 32 km segue aos pés de falésias coloridas com até 40 metros de altura. SAIBA MAIS

Praia do Moreira, no distrito de Cumuruxatiba, em Prado, no extremo sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

⇒ De bugue entre Sergipe e Bahia

No litoral sul de Sergipe, no limite com o extremo norte da Bahia, o estado tem uma de suas faixas de areia mais belas: a Praia do Saco.

O destino é conhecido pelos passeios de bugue, entre praias e dunas; e pela cenográfica Ilha da Sogra, um banco de areia temporário com um quilômetro de extensão, entre o rio e o mar. VEJA VÍDEO

foto: Turismo Sergipe/Divulgação

LEIA TAMBÉM: “Conheça atrações turísticas do Sergipe, o menor estado brasileiro”

⇒ De Porto Seguro a Caraíva
(Bahia)

Piscinas naturais que emergem bem na beira da praia, falésias que se erguem sobre faixas de areia e uma sequência de outros cenários que só podem ser vistos por quem chega a pé ou de bicicleta.

É nas praias do litoral sul da Bahia, onde carros não entram e banhistas só chegam com certo esforço, que acontecem a travessia de quase 50 km que pode ser feita a pé ou de bicicleta.

Jacumã, praia que fica no roteiro que vai de Trancoso à Praia do Espelho, no litoral sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Praias isoladas do litoral sul da Bahia se exibem em viagem de bicicleta”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*