Cusco, no Peru, terá cerimônia inca transmitida pelas redes sociais

T

oda vez que o sol se põe, no dia 21 de junho, começa não só o inverno no hemisfério Sul mas também o início da festa mais importante da antiga capital inca.

Mas em 2020 não haverá cerimônias ancestrais em reverência ao Sol no templo de Qorikancha, nem desfiles imponentes na Plaza de Armas de Cusco, a antiga capital do Império Inca, no sudeste do Peru.

Inti Raymi, em Cusco, no Peru (foto: Gihan Tubbeh/Promperú)

Conhecido também como Festa do Sol, o Inti Raymi deste ano será à distância, com tours virtuais no dia 21 de junho pelas evidências arqueológicas de Machu Picchu e na Rota do Sol, entre o templo Qorikancha e a fortaleza de Saqsaywaman.

“Essas festas serão marcadas pela capacidade de Cusco de chegar ao mundo inteiro, através da interação e conexão, porque este ano a magia de Cusco estará na casa de cada um”, descreve em nota, José Santoyo, presidente da Emufec (Empresa Municipal de Festejos del Cusco), responsável pela realização do evento.

VEJA TAMBÉM: “Roteiros alternativos levam a Machu Picchu por antigos caminhos incas”

Inti Raymi, em Cusco, no Peru (foto: Gihan Tubbeh/Promperú)

Festa do Sol

O Inti Raymi é encenado todos os anos e chega a reunir mais de 700 artistas.

Em tempos de normalidade, o evento atrai cerca de 80 mil pessoas, das quais 3.500 pessoas pagam até US$ 150 para ver o espetáculo de perto, de acordo com o site do jornal Gestión.

Desde que a festa foi retomada em 1944, depois de ser proibida durante o período colonial espanhol, essa será a primeira vez que a cerimônia não acontecerá.

Em tempos de normalidade, cerca de 200 mil turistas desembarcavam em Cusco para os festejos.

O ritual, que teve seu início no ano 1430 aproximadamente por Pachacutec, é uma homenagem ao Deus Sol, divindade máxima do maior império da América pré-colombina.

Esse inca teria ordenado a construção do Qorikancha, o templo principal de adoração ao Sol (‘Apu P`unchao‘ ou ‘Apu Inti’, em língua quéchua).

Assim como lembra a Promperú, órgão oficial de promoção do Peru, o evento durava nove dias, cuja preparação começava três dias antes com os cusquenhos em uma rigorosa dieta à base de milho e ervas.

Marcado como ponto de início do novo ano, o Inti Raymi era celebrado na atual Praça de Armas e contava até com a participação das múmias de nobres ancestrais para que esses pudessem participar da celebração ao Pai Sol (‘Taita Inti’).

LEIA TAMBÉM: “Conheça Juanita, a múmia em melhor estado de conservação dos Andes, no Peru”

Vista noturna da Plaza de Armas, no centro de Cusco, no Peru (foto: Eduardo Vessoni)

Festa do Sol virtual

Mas em 2020 os rituais incas serão modestos e online, cuja programação terá videoconferência sobre a história e cultura de Cusco (21 e 22 de junho, às 10h); e recopilação audiovisual de desfiles (23/6, às 13h), acompanhada de apresentação da Orquestra Sinfônica de Cusco, às 18h.

A agenda virtual segue no dia 24 (quarta-feira), o ponto máximo das cerimônias, com hasteamento da bandeira de Cusco às 8h e, em seguida, missa virtual na Catedral de Cusco. Às 19h, será transmitido um Inti Raymi em 360° no perfil da Emufec, no Youtube.

Os eventos acontecem também no Facebook da empresa responsável pela festa.

Originalmente, o Inti Raymi é celebrado no dia 24 de junho em três endereços tradicionais, em Qorikancha, templo dedicado ao Sol na época dos incas; na Plaza de Armas (antigo Auqaypata ou Plaza del Guerrero, onde o evento acontecia na íntegra sobre uma plataforma cerimonial; e em Saqsaywaman.

É nesse centro arqueológico, a um km do bairro inca de Qolqanpata, que acontecem as encenações do sacrifício da llama e de rituais da chicha, do Fogo Sagrado e do Pão Sagrado (‘Rito del Sankhu’).

LEIA TAMBÉM: “Machu Picchu pela 1ª vez: dicas, preços e roteiros”

SAIBA MAIS
Inti Raymi
De 21 a 24 de junho, no Facebook e no Youtube da Efumec. Já a missa do dia 24 acontece no Facebool do Arzobispado de Cusco.
www.emufec.gob.pe

Segundo a Promperú, órgão oficial de promoção do Peru, o isolamento social obrigatório no país está em vigor até o dia 30 de junho.

Entre as medidas impostas pelo governo peruano estão o toque de recolher entre às 21h e 4h, uso obrigatório de máscaras e circulação nas ruas permitidas apenas de 2ª a sábado para compra de items básicos como alimentos e produtos farmacêuticos.

LEIA TAMBÉM: “Confira restrições de voos entre o Brasil e países da América do Sul”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*