‘Que Mundo É Esse?’ no Japão tem temporada inédita no Globoplay

E

ra para ser uma nova era para o Japão.

Em 2020, o país veria o primeiro ano da entronização do Imperador Naruhito e, em julho, a capital Tóquio receberia o mundo com a 32ª edição dos Jogos Olímpicos.

Mas dai veio a pandemia, e os planos tiveram que ser adiados. Mas não para a equipe do jornalístico ‘Que Mundo É Esse?’.

André Fran, Michel Coeli e Rodrigo Cebrian, no Japão (foto: Globo/Divulgação)

Formado por André Fran, Michel Coeli e Rodrigo Cebrian, esses brasileiros acostumados a um perrengue mundo afora estreiam nova temporada na plataforma de streaming Globoplay, em uma parceria inédita com a GloboNews.

Ao mesmo tempo em que o trio desembarcava em Tóquio, em fevereiro, um cruzeiro no porto de Yokohama se transformava no segundo maior epicentro da COVID-19, depois de Wuhan, na China. A bordo, 700 passageiros infectadas estavam impedidos de deixar a embarcação.

Era hora da equipe transformar a “vida sem roteiro” num roteiro da vida como ela é.

Com a ajuda de um taxista local, a pequena equipe conseguiu credenciamento de imprensa e chegou o mais próximo possível, a 100 metros da notícia.

Como lembra Rodrigo Cebrian, em nota enviada para o Viagem em Pauta, “era uma espécie de Big Brother do coronavírus”.

VEJA TAMBÉM: “Conheça ‘Justa’, a brasileira que salvou judeus do nazismo e será minissérie”

Tóquio (foto: Raita Futo/Flickr-Creative Commons)

O ‘QMEE? Japão’ vai para o outro lado do mundo para conhecer também a ‘Floresta do Suicídio, em Aokigahara; segue em Hiroshima para ver de perto os impactos da bomba atômica e suas consequências; e faz parada ainda em Tóquio para conhecer alguns praticantes de cosplay.

“[Apesar dos avanços tecnológicos], os japoneses lidam com alguns assuntos de forma arcaica ainda, como a submissão das mulheres. É curioso pensar como esses contrastes representam tanto esse país”, define André Fran.

A série na Globoplay, que já está em sua 10ª temporada, tem cinco episódios, cujo primeiro será aberto para não assinantes.

LEIA TAMBÉM: “Groenlândia é um dos destinos mais remotos do mundo, no Ártico”

* com informação da Imprensa da Globo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*