Acordo comercial entre LATAM e Delta é aprovado no Brasil

A

presentada ao CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), em julho, a parceria comercial (joint venture, em inglês) entre a LATAM e a estadunidense Delta foi aprovada sem restrições.

Desde que anunciaram o acordo, em setembro de 2019, as duas empresas têm oferecido benefícios aos clientes, como acúmulo e troca de milhas de ambos programas de fidelidade, códigos compartilhados em certas rotas e acesso a salas VIPs Delta Sky Club, nos Estados Unidos, e VIP Latam, na América do Sul.

foto: Divulgação

VEJA TAMBÉM: “No pós-pandemia, Nordeste é preferência dos brasileiros: veja destinos diferentões”

De acordo com a nota a que o Viagem em Pauta teve acesso, divulgada pela IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), um dos fatores que facilitou o acordo foi o impacto da COVID-19 na indústria aérea, desde que a pandemia de coronavírus paralisou o mundo, em março.

“Enquanto continuamos focados em oferecer confiança para os clientes voarem, não perdemos de vista nossos compromissos a longo prazo”, explica Roberto Alvo, CEO da LATAM Airlines Group.

A retomada

Seis meses depois de paralisar o planeta, a crise causada pela pandemia de coronavírus tem sido devastadora para a economia, sobretudo em setores como a aviação e o turismo. Para a IATA, o tráfego global de passageiros não deve voltar a níveis conhecidos antes de 2024.

Apesar da crise econômica anterior à pandemia, a indústria aérea do Brasil vinha crescendo, entre 2017 e 2019, chegando a transportar quase 120 milhões de passageiros, segundo dados da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

foto: Domínio Público

LEIA TAMBÉM: “Como e quando será a retomada aérea na América do Sul”

* com informações da IATA

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*