Viagem de ônibus no Brasil: para onde o viajante tem ido durante a pandemia

O

mundo do turismo, um dos setores mais afetados pela pandemia de coronavírus, ainda segue a passos lentos e a retomada é um tema incerto (e muitas vezes, desaconselhado).

Ainda assim, teve viajante que não deixou de cair na estrada, seja por necessidade ou para matar saudade do mundo lá fora.

Recentemente, a ClickBus, plataforma de venda online de passagens rodoviárias, listou os dez destinos mais buscados pelos brasileiros, em viagens realizadas nesse período atípico.

foto: Domínio Público

VEJA TAMBÉM: “Com medo e desconfiado, brasileiro ainda deve demorar para viajar”

Com cerca de 150 empresas e mais de quatro mil destinos disponíveis em seu portfólio, a empresa divulgou levantamento que apresenta as rotas mais procuradas nas compras feitas pelo site ou aplicativo.

Segundo dados enviados ao Viagem em Pauta, as rotas saindo de/para as principais capitais brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, foram as mais vendidas desde o início da pandemia declarada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), em 11 de março.

Outro dado curioso é que, em todos os casos, as viagens foram feitas em trechos curtos, como São Paulo-Campinas (1h30) ou Goiânia-Brasília (3h30).

A rota mais longa levantada pela ClickBus foi o trecho São Paulo-Vitória (ES), uma viagem de 14h35.

É seguro viajar de ônibus?

Em parceria com a ClickBus, empresas de ônibus lançaram o Selo de Segurança Reforçada, uma série de medidas de segurança criadas a partir das recomendações do Ministério do Turismo e da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Desde 4 de maio, de acordo com decretos em diversos estados brasileiros, é obrigatório o uso de máscara nos transportes coletivos interestadual e intermunicipal.

Nas rodoviárias estão sendo realizadas medição de temperatura nos passageiros e exigidos os usos de máscaras de proteção e álcool gel.

foto: ClickBus/Divulgação

Ainda segundo os protocolos adotados, o ar-condicionado dos ônibus deve ser limpo constantemente (a frequência não foi informada pela empresa) e a limpeza pré-viagem deve ser visível.

Em todas as etapas da viagem, motoristas devem viajar sempre com máscaras de proteção e o processo de deslocamento, do embarque ao desembarque no destino final, deve evitar ao máximo o contato físico. Para isso é recomendado o uso de passagens eletrônicas (e-ticket).

De acordo com a ClickBus, durante a pandemia, as empresas de ônibus tiveram um aumento de 40% na digitalização de seus serviços.

As 10 viagens de ônibus mais buscadas durante a pandemia
– São Paulo – Rio de Janeiro (tempo aproximado de viagem: 6h30)
– Rio de Janeiro – São Paulo (6h30)
– São Paulo – Curitiba (6h10)
– São Paulo – Vitória (14h35)
– Brasília – Goiânia (3h30)
– Curitiba – São Paulo (6h10)
– Goiânia – Brasília (3h30)
– Rio de Janeiro – Vitória (8h30)
– São Paulo – Campinas (1h30)
– São Paulo – Ribeirão Preto (4h30)
foto: Pixnio/Domínio Público

LEIA TAMBÉM: “No pós-pandemia, Nordeste é preferência dos brasileiros: veja destinos diferentões”

*Este post foi escrito a partir de dados enviados pela ClickBus e não tem nenhum vínculo comercial ou editorial com o Viagem em Pauta

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*