Conheça destinos imperdíveis no Chile, que reabre as fronteiras em novembro

A partir da 00:00 do próximo dia 23 de novembro (segunda-feira), o Chile volta a abrir sua fronteira, depois de quase 250 dias fechada para estrangeiros, devido ao coronavírus.

A princípio, a única entrada possível será pelo aeroporto Arturo Merino Benítez (SCL), na capital Santiago. Porém, turistas deverão tomar algumas medidas, antes do embarque.

De acordo com a Sernatur (Servicio Nacional de Turismo), organização pública de promoção do turismo no país, estrangeiros não-residentes devem portar teste PCR negativo feito 72 horas antes de embarcar, seguro saúde com cobertura COVID-19 durante a estadia no Chile e “Declaração de viajantes” preenchida 48 horas antes da viagem, no site www.c19.cl.

Oceano Pacífico, visto na trilha de Duhatao a Chepu, em Chiloé, no Chile (foto: Eduardo Vessoni)

“Apesar da abertura das fronteiras e entrada permitida de turistas estrangeiros, a pandemia ainda não terminou. Essas medidas não significam que podemos relaxar, pelo contrário, devemos ser ainda mais responsáveis e cuidadosos”, declarou o subsecretario de Turismo, José Luis Uriarte, em nota enviada para o Viagem em Pauta.

VEJA TAMBÉM: “Chile é eleito melhor destino de aventura da América do Sul”

ATENÇÃO

De acordo com o Ministério da Saúde do Chile, até o próximo dia 7 de dezembro, passageiros provenientes de países com transmissão comunitária, que é o caso do Brasil, deverão cumprir quarentena de 14 dias, além de comprovar os documentos citados anteriormente.

Os turistas serão controlados por um aplicativo que os monitorará de maneira constante, permitindo o rastreamento do itinerário do visitante e rápida ação no caso de qualquer sintoma.

As entradas por vias terrestre e marítima permanecerão proibidas para não-residentes até que a condição sanitária no país permita sua reabertura.

Confira destinos imperdíveis no Chile

Travessia dos Lagos Andinos
Há mais de um século, navegar por esse território patagônico significa ver vulcões, canais estreitos, florestas centenárias e povoados minúsculos.

foto: Cruce Andino/Divulgação

Criada em 1913 pelo suíço Ricardo Roth, responsável pelo primeiro cruzamento com fins turísticos na região, a travessia é uma viagem de sete etapas (lacustres e terrestres), com duração de até dois dias, entre Porto Varas (Chile) e Bariloche (Argentina).
VEJA ATRAÇÕES

Carretera Austral
Com 1.240 km de extensão, essa é uma das estradas icônicas de todo o continente, onde o viajante vai dos lagos gelados de Porto Montt, marco zero da estrada, aos bosques sempre-verdes da Patagônia chilena.

O roteiro passa por rios, vales, geleiras, glaciais suspensos, parques nacionais e formações rochosas milenares em meio a um lago de águas azuladas.
CONFIRA ATRAÇÕES

LEIA TAMBÉM: “Patagônia argentina ou chilena? Saiba quais são as diferenças e programe-se”

Chiloé
Ao sul do Chile e bem perto da Patagônia, existe um Chile que a gente custa a acreditar.

Localizado na Região dos Lagos, a menos de 200 km do aeroporto de Porto Montt, o arquipélago de Chiloé é a segunda maior ilha do Chile, endereço de esportes de aventura, trilhas por cenários surreais e igrejas de madeira declaradas patrimônio da humanidade. VEJA VÍDEO

Oceano Pacífico, visto durante trilha Duhatao-Chepu, em Chiloé (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Arquipélago de Chiloé é o Chile isolado que você precisa conhecer”

Atacama
A geografia por ali continua a mesma, mas este é aquele tipo de destino que a gente nunca se cansa de voltar.

O Atacama é o destino mais seco do planeta, abriga o deserto mais alto do mundo, seu solo é comparado ao de Marte e a chuva segue rara por ali.

Capital arqueológica do Chile e com raros dias de chuva, o povoado de San Pedro serve de base para quem visita a região. É ali que começa a viagem pelo mais clássico, como as saídas para os vales da Lua e da Morte, Salar do Atacama, Lagunas Altiplânicas e os Gêiseres do Tatio.

VEJA TAMBÉM
“O lado B do deserto: 3 trilhas alternativas no Atacama, no Chile”
“Deserto do Atacama pela primeira vez”
“De volta ao deserto: dicas para quem já conhece o Atacama”
“8 motivos para conhecer o Deserto do Atacama, no Chile”
“Como é o impressionante tour astronômico do Deserto do Atacama, no Chile”

⇒ Ilha de Páscoa
A 3.700 km da costa chilena, no meio do nada, essa ilha é daqueles destinos obrigatórios para quem procura experiências inusitadas, endereço de trilhas em fábrica de moais, mergulhos em águas, exageradamente, azuladas e caminhadas sobre vulcões.

10) VER OS CENTROS CERIMONIAIS: Tongariki, na baía Haga Nui, é a maior plataforma funerária de Rapa Nui e abriga uma sequência de 15 moais (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “8 motivos para conhecer a Ilha de Páscoa”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*