Piscinas naturais da Paraíba

Os mesmos arrecifes que um dia impediram a entrada de navios, isolando a cidade durante a colonização local, são responsáveis agora por alguns dos atrativos mais procurados de João Pessoa.

Durante a maré baixa, piscinas naturais se formam a poucos quilômetros da costa da capital paraibana e podem ser acessadas sem muito esforço.

A mais popular delas é a de Picãozinho, cujas embarcações saem da Praia de Tambaú, a um quilômetro dali. O passeio tem duração de 3 horas, aproximadamente, e pode ser combinado com atividades marinhas como observação de fauna e mergulhos com cilindro ou snorkel.

VEJA TAMBÉM: “De dentro para fora: conheça as praias da Paraíba”

As opções para ver aqueles aquários a céu aberto seguem na Praia do Seixas, com saídas da vizinha Praia da Penha, e na bela Areia Vermelha, onde esse banco de areias avermelhadas se isola a dois quilômetros da costa, em Cabedelo, município da Região Metropolitana de João Pessoa.

Areia Vermelha, ilha com 1,5 quilômetro de extensão que se forma na maré baixa e dá lugar a piscinas naturais rodeadas por areias de tons avermelhados, no município de Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa (foto: Cacio Murilo/PBTur)

Já a Ponta do Seixas, o ponto mais oriental das Américas, é um dos endereços mais visitados da capital, sobretudo por conta das piscinas naturais que se formam na maré baixa.

A 14 km do centro de João Pessoa, o local é o endereço brasileiro em que o Sol nasce primeiro, onde dá para vê-lo do alto de um mirante sobre uma falésia.

VEJA TAMBÉM: “Praias imperdíveis da Paraíba”

Sereias da Penha

Não deixe de fazer uma visita a essa cooperativa de esposas de pescadores, especializadas na produção de biojoias, na Praia da Penha.

Produção de biojoias na Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

Capacitadas por Ronaldo Fraga, estilista que introduziu também a ideia do uso de fio de cobre, as mulheres de três comunidades locais (Penha, Cabo Branco e Jacarapé) fazem arte em peças com escamas de peixes, como brincos e colares.

“São peças, praticamente, únicas. Não só pelo formato exclusivo das escamas como também pela criatividade das artesãs”, explica Joseana Izidro, presidente dessa associação que ganhou notoriedade, após ter seus acessórios usados em desfiles na São Paulo Fashion Week.

LEIA TAMBÉM: “No pós-pandemia, Nordeste é preferência dos brasileiros: veja destinos diferentões”

Mais ao sul

No sul da Paraíba ficam praias famosas em municípios como Conde, cujo endereço mais popular é Tambaba, conhecida como a primeira praia de naturismo do Nordeste. SAIBA MAIS

Já no extremo sul do estado, no limite com Pernambuco, a desconhecida Pitimbu tem a maior orla de todo o litoral paraibano, a 65 km de João Pessoa.

Considerado um dos mais novos destinos turísticos da costa paraibana, Pitimbu tem 26 km de praias, 13 praias e quatro estuários.

Estuário do Graú, em Pitimbu, na Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

“Por passar tanto tempo despercebido, tem muitos lugares preservados em Pitimbu. É uma paisagem ainda intocada”, explica Francisco Pinheiro, secretário de Turismo e Meio Ambiente da cidade.

E no caso de Pitimbu, isso significa almoçar em piscinas naturais, fazer passeios de quadriciclo por praias isoladas, caminhar em mirantes sobre falésias avermelhadas e ter um destino, praticamente, só para você.

LEIA TAMBÉM: “Pitimbu é a nova aposta do litoral da Paraíba”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*