Atrações imperdíveis em Alter do Chão (PA)

* esta viagem foi feita antes da pandemia de coronavírus, por isso é recomendável conferir a situação sanitária da região antes de viajar
Se o cuidado ambiental no Brasil ainda parece longe de ser prioridade, a população amazônica tem encontrado no turismo a solução para movimentar a economia de forma sustentável. 

Nas atrações de Alter do Chão, no Pará, a experiência acontece em comunidades ribeirinhas que viram no turismo uma alternativa a outros setores, como a pecuária e a agricultura.

VEJA STORIES

Em Santarém, porta de entrada para o destino e a cerca de 1h20 de avião de Belém, é possível fazer turismo não só em áreas urbanas (daquelas que a gente quase esquece que está em terras amazônicas) mas também no interior da maior floresta tropical do planeta.

E, certamente, é isso o que você está buscando por ali.

SAIBA MAIS: “5 motivos para conhecer a maior floresta tropical do mundo”

Atrações em Alter do Chão

Ilha do Amor

A imagem mais famosa de toda a região é esse banco de areia que se forma na vazão do Rio Tapajós, em Alter do Chão.

Após uma breve travessia em pequenos barcos, é possível passar o dia em barracas equipadas com restaurantes, bares e aluguel de caiaques e SUP.

Ilha do Amor, em Alter de Chão, em Santarém, no Pará (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA TAMBÉM: “O que fazer em Santarém e Alter do Chão”

Centro histórico

Devido ao estado de conservação de seus casarões, a região não merece mais do que uma manhã para ser visitada, mas mesmo assim não deixe de se perder por aquelas belas construções do período português.

Destaque para o mirante de madeira da Praça da Fortaleza do Tapajós, procurado para observações do Encontro das Águas e dos finais de tarde dourados no Rio Tapajós.

Encontro das águas

Em frente à ilha Ponta Negra, a cinco minutos de barco de Santarém, é possível ver os rios Amazonas e Tapajós correrem paralelos, sem se misturar, por conta das diferenças de temperatura, velocidade e densidade de suas águas.

Encontro das Águas, fenômeno natural nos rios Tapajós e Amazonas, em Santarém, no Pará (foto: Eduardo Vessoni)

O embarque é no Terminal Fluvial Turístico, na Avenida Tapajós, no centro da cidade e o roteiro costuma ser combinado com visita ao Igarapé Açu, conhecido por suas casas sobre palafitas.

LEIA TAMBÉM: “10 lugares incríveis no Brasil para você matar saudade do mundo lá fora”

Jardim de vitórias-régias

A duas horas de barco de Santarém, o Canal do Jari, um braço do rio Amazonas, é endereço do Jardim Vitória-Régia, uma das atrações de Alter do Chão.

A bem-humorada Dulce de Oliveira abre as portas de casa para receber visitantes com mesa farta, montada com petiscos preparados com a planta símbolo da Amazônia. A visita é acompanhada por um tour de canoa que navega entre suas 134 vitórias-régias.

Jardim de vitórias-régias, no Canal do Jari, em Santarém, no Pará (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Jardim de vitórias-régias é atração de Santarém e Alter do Chão, no Pará”

Praias de água doce

De julho a dezembro, durante o verão amazônico, a vazão das águas dos rios revela praias fluviais na região de Santarém. As opções vão das mais turísticas, como Pajuçara, às desertas Arariá e Maria José (acesso apenas pelo rio Tapajós).

Poderia ser como qualquer outra faixa de areia com águas mornas e cristalinas do litoral do Brasil, não fosse uma Amazônia inteira que abraça esse município, onde mais de 60% da região é coberto por floresta.

Ilha do Amor, em Santarém (foto: Eduardo Vessoni)

SAIBA MAIS: “Praias em Santarém e Alter do Chão, no Pará”

1 Comentário

  1. Estive em Alter de 29/07 a 05/10 E quem conhece não esquece jamais. Suas praias, seus rios, o por do sol, suas iguarias e seu povo hospitaleiro e orgulhoso de ser natural do habitat genuinamente brasileiro.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*