Confira como está a recuperação do setor aéreo no Brasil

Longe de ver o fim dos estragos causados pelo coronavírus, companhias aéreas do Brasil já contam com procura igual ou maior do que antes da pandemia.

De acordo com a Embratur, a expectativa é de que as operações domésticas das empresas nacionais se equiparem as de 2019, ainda no 1º semestre de 2021.

SAIBA MAIS

LEIA TAMBÉM:
“Estudo aponta os destinos brasileiros mais desejados no pós pandemia”

Mais de cinco meses depois de paralisar o planeta, a crise causada pela pandemia de coronavírus tem sido devastadora para a economia, sobretudo em setores como a aviação e o turismo.

Para a IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), o impacto tem sido tão grande “que as medidas implementadas não são suficientes para amenizar a profunda crise do setor, ameaçado pelo desaparecimento de inúmeras empresas”.

Se por aqui as coisas parecem começar a dar esperanças às empresas, mesmo que viajar ainda seja inseguro e pouco recomendado, as viagens internacionais são uma experiência distante.

foto: Domínio Público

LEIA TAMBÉM: “No pós-pandemia, Nordeste é preferência dos brasileiros: veja destinos diferentões”

Para a IATA, “o tráfego global de passageiros não retornará aos níveis anteriores à COVID-19 antes de 2024”.

Em outras palavras, responsável por quase dois terços das viagens aéreas no mundo, o tráfego internacional continua praticamente inexistente.

E nem o tão aguardado verão europeu do meio do ano passado deu conta de reverter o cenário. Insegurança, constantes fechamentos de fronteiras e mudanças de regras na admissão de estrangeiros são alguns dos impasses.

CONFIRA NOVIDADES AÉREAS

VEJA TAMBÉM: “10 lugares incríveis no Brasil para você matar saudade do mundo lá fora”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*