Barra do Cunhaú: o Rio Grande do Norte que você ainda não conhece

A vizinha Praia de Pipa segue no seu estilo hedonista de receber forasteiros, onde o espírito Paz e Amor dos anos 70 deu lugar a baladas fervidas, boutiques que destoam do espírito Flower Power daquela época e restaurantes bem decorados que exageram nas cifras do cardápio.

Mas do outro lado do estreito rio Catú, onde carros seguem sobre jangadas rústicas de madeira até a margem seguinte, a Barra do Cunhaú dá as costas para o turismo de massa e segue a vida na direção dos ventos.

Essa simpática vila de pescadores fica no município de Caguaretama, a 80 km de Natal, e é um dos cenários ainda desconhecidos dos 400 km do litoral potiguar. É ali que o rio vira mar (ou o contrário, de acordo com a posição dos ventos), uma ilusão de ótica que faz a gente confundir mar e rio.

Mas tem também dunas, mangues, praias desertas e trilhas para ver caranguejos.

VEJA WEB STORIES

LEIA TAMBÉM: “O que fazer no Rio Grande do Norte: confira 12 sugestões de destinos”

Para um primeiro contato, comece com o passeio de barco pelo rio Curimataú, em que os passageiros descem para conhecer os mangues do outro lado da margem, realizar trilhas curtas e conhecer a (quase) deserta Praia da Restinga, conhecida também como Praia do Outro Lado e já em território da vizinha Baía Formosa.

Se o programa do dia for fazer nada, contrate alguma das pequenas embarcações no centro do vilarejo e peça para desembarcar em algumas das praias desertas da margem direita do rio Curimataú. Seja qual for o endereço, a sensação é sempre a de ser o primeiro turista naquelas terras alagadas e protegidas dos ventos.

Barra de Cunhaú (foto: Eduardo Vessoni)
Barra do Cunhaú (foto: Eduardo Vessoni)

Entre as faixas de areia mais populares do destino estão a Praia da Barrinha, no encontro do rio Catú com o mar, separando as terras quilombolas de Sibaúma; Praia da Boca da Barra, endereço dos kitesurfistas, cuja extensa faixa de areia dá acesso à maior das praias locais, a do Pontal, com 5 km de extensão, águas calmas e piscinas naturais..

Com ventos fortes e constantes, em área de mar aberto, o destino é conhecido também pelo banco de areia que separa o mar do rio e cria condições perfeitas para praticantes iniciantes e profissionais do kitesurf.

Polo da produção de camarões em cativeiro, uma das principais fontes de renda, assim como o turismo, Barra do Cunhaú é um dos principais produtores de camarão do Brasil, onde é possível conhecer fazendas de cultivo desse crustáceo.

Baía Formosa (foto: Eduardo Vessoni)
Baía Formosa (foto: Eduardo Vessoni)

No extremo sul do estado, no limite com a Paraíba e a 110 km de João Pessoa, Baía Formosa é outro município que está no roteiro de quem visita o destino, cuja principal atração é a Lagoa da Coca-Cola, na Mata da Estrela.

O nome popular da Lagoa da Araraquara se deve às suas águas escuras, alteradas pelo solo rico em iodo e ferro, e à pigmentação das raízes das árvores. A atração é procurada pelos que acreditam que suas águas curam e rejuvenescem.

LEIA TAMBÉM:
“Lagoa da Coca Cola é uma das atrações inusitadas do Rio Grande do Norte”

VEJA MAIS FOTOS


SAIBA MAIS
Como chegar
Localizado a 8 km da Praia de Pipa, o destino fica no município de Canguaretama, no sul do Rio Grande do Norte, e tem acesso pela BR-101.

De Canguaretama, o motorista deve seguir por mais cerca de 13 km, na RN-269 até o litoral.

Site oficial do Rio Grande do Norte

www.natalbrasil.tur.br

Salvar
Salvar
Salvar
Salvar

3 Comentários

  1. Tivemos o prazer em está nessa praia dia do meu aniversário 20/06 para conhecer, fiquei encantada com a bela do Rio com a praia,depois passamos a balssa para o praia de sibauma outra muto linda,continuamos de carro até pipa,foi um passeio incrível muitas belezas naturais que não conhecia,meus filhos ficaram encantados,vou voltar lá novamente.

  2. Lindas praias tem no Rio Grande do Norte. Quem tiver o prazer de passar um dia em barra de cunhau o Caribe do Nodeste jamais esquece..

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*