Conheça os destinos mais bonitos do Brasil para prática de mountain bike

Caminhos rústicos, percursos incertos e subidas exigentes.

Esses são alguns dos desafios para quem pratica MTB (sigla em inglês para mountain bike). Que o diga Diego Sanches, ciclista e fotógrafo.

“Por meio do esporte, comecei a me especializar em capturar as aventuras e dividir meu conhecimento e experiência que adquiri na prática. Mudou a minha vida”, descreve Sanches.

E o que era apenas lazer, desde pequeno, virou hábito e principal meio de transporte para esse mineiro que mora em Belo Horizonte.

MTB em Arraial do Cabo (foto: Diego Sanches/GoPro)

“Me envolvi em alguns projetos sobre mobilidade urbana, rodando pelas ciclovias da cidade, gravando melhores trajetos para se fazer, ajudando mais pessoas a saírem do sedentarismo e procurar meios de transportes mais sustentáveis”, lembra.

A prática seria a porta de entrada para o mundo da mountain bike ou como define o próprio ciclista, “amor à primeira vista”.

Diego Sanches dividiu com o Viagem em Pauta alguns dos melhores lugares no Brasil para quem quer praticar MTB. Confira WEB STORIES

VEJA TAMBÉM: “5 praias do litoral sul da Bahia com acesso apenas de bicicleta ou a pé”


Destinos mais bonitos do Brasil para prática de mountain bike

No Rio de Janeiro, o ciclista Diego Sanches recomenda os amanheceres na Região dos Lagos, endereço de destinos como Arraial do Cabo, Cabo Frio e Búzios.

Em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais e do mountain bike, Sanches destaca as diversas opções de trilhas de todos os níveis, com um terreno bem desafiador, como o Retiro das Pedras.

Mas é no interior mineiro que ficam os roteiros preferidos do ciclista, como as Cidades Históricas, conhecidas pelo sobe e desce em serras, como a Estrada Real, entre Diamantina (MG) e Paraty (RJ).

Para Sanches, “Minas Gerais é um dos melhores estados brasileiros para prática de MTB”.

Ciclismo em Belo Horizonte (foto: Diego Sanches/GoPro)

Outro destaque é a também mineira Serra do Cipó, região de cachoeiras, trilhas e picos incríveis, com trajetos para iniciantes e para os mais experientes, como o Cânion das Bandeirinhas, um bate e volta com 25 km no total.

Já na Serra da Canastra, outro paraíso do mountain bike nacional, a experiência tem travessias de rios, cachoeiras e rock gardens desafiadores. Para Sanches, “é um dos destinos mais completos”, inclusive para iniciantes.


LEIA TAMBÉM: “5 destinos nacionais que os brasileiros (ainda) não conhecem”

Dicas para otimizar sua GoPro em trilhas de bicicleta

– Acessórios como faixa de cabeça ou suporte peitoral, como o chesty harness que funciona como um cinturão, dão aos registros sensação de imersão para o espectador.

– Outra dica de acessório é o 3-way, suporte que funciona como tripé, garra para a câmera e braço de extensão.

– A nova GoPro 9 conta também com sistema Hypersmooth que ameniza as inevitáveis trepidações do pedal. Segundo o fabricante, a ferramenta analisa o movimento em tempo real e elimina a vibração indesejada sem prejudicar o foco da captura.

imagem: Reprodução

– Diego indica também fazer pequenos takes durante as atividades. Por isso, deixa a sua câmera configurada para captura rápida e controle de voz ativado.

– O ciclista costuma usar sua câmera de cabeça pra baixo no suporte, assim “o ângulo fica melhor em cima da bicicleta, eu pego de uma forma bem fiel a minha visão e tenho mais espaço para movimentar a câmera pra cima e para baixo”.

– Vídeos ajustados em resolução 2,7k e 60fps permitem edições de frames em slow, “já que são mais frames por segundo”. Diego indica tb o Super View, “garantindo um ângulo amplo”.

VEJA FOTOS

* conteúdo publicado em parceria com a GoPro
** todas as imagens desta matéria foram feitas com GoPro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*