Como vai ser a Oktoberfest em São Paulo

Entre os dias 25 de novembro e 12 de dezembro, a cidade recebe a 4ª edição da ‘São Paulo Oktoberfest’, considerada o maior festival alemão de São Paulo.

Em uma réplica de uma vila alemã, no Brooklin, próximo à Ponte Estaiada, o evento terá espaços como o tradicional Biergarten (‘Jardim de Cerveja’), conceito criado na Alemanha em 1812 pelo então rei da Baviera, Maximilian I, como solução para o excedente da produção de cerveja da época.

Na Alemanha, o local reúne estabelecimentos em parques e setores urbanos de diversas cidades alemãs, onde os clientes contam com bancos e mesas coletivos, e serviços de restaurante.

SAIBA MAIS: “Conheça os ‘jardins de cerveja’ de Munique”


CONHEÇA O ‘SÃO PAULO OKTOBERFEST’

Em São Paulo, a programação da Oktoberfest terá também shows na Biertent (‘Tenda de Cerveja’), onde se apresentarão artistas como Paulo Ricardo, Tiago Abravanel e U2 Cover. O local terá ainda o Bierpark, parque de diversões com brinquedos para adultos e crianças, como roda gigante e jogos de habilidade.

Já a experiência cervejeira será com o Schornstein, chope preparado em Pomerode (SC), no Vale Europeu, conhecido pelas notas de pão e casca, amargor pronunciado e teor alcoólico de 5,3%. Outro destaque da ‘São Paulo Oktoberfest’, é o cardápio assinado pelo chef Werner Rotzinger, que apresentará 25 pratos da gastronomia germânica.

Com valores que vão de R$ 15 a R$ 96, o cardápio terá opções como joelho e barriga suínos, salsicha branca e sobremesas (strudel de maçã com creme de baunilha). SAIBA MAIS

1rd_oktoberfest_Felipe Panfili_Divulgação
Oktoberfest em São Paulo (foto: Felipe Panfili/Divulgação)

Biergarten de Munique

Quando Maximilian I autorizou as cervejarias de Munique a comercializarem bebidas, há mais de 200 anos, não imaginaria que estava criando um dos atrativos turísticos mais famosos do sul da Alemanha.

Em 1812, o então rei da Baviera encontrou uma solução para o excedente da produção e liberou a venda de cervejas em áreas ao ar livre, diretamente aos consumidores.

Naqueles tempos sem refrigeração, a bebida era armazenada em adegas que ficavam sob castanheiras, onde os clientes aproveitavam a sombra das árvores para apreciarem ali mesmo a bebida recém-adquirida.

Nascia uma das mais famosas (e cobiçadas) tradições da Alemanha.

Augustinerkeller (foto: Eduardo Vessoni)

O biergarten é um local exclusivo para venda e consumo de cervejas, em estabelecimentos em parques e setores urbanos de diversas cidades alemãs.

Mas essa não é a única atração da capital da Baviera, a 380 km de Frankfurt.

Modelo Isetta Motocoupé, o “Carro Bolha”, no Museu da BMW, em Munique.

Um dos destaques é o Museu da BMW, espaço que conta a história da empresa em salas temáticas sobre design, tecnologia e modelos esportivos. Ao lado da fábrica da empresa, o local fica em uma área de 5 mil m² e abriga mais de 120 automóveis, motocicletas e peças mecânicas.

Entre os destaques da exposição de motocicletas, peças mecânicas e automóveis está o modelo Z8 usado no filme “007 – O mundo não é o bastante”.

CONHEÇA O MUSEU DA BMW

SAIBA MAIS: “4 museus de carros imperdíveis para fãs de automobilismo”

Munique é famosa também pelo Englischer Garten, parque conhecido pelo inusitado surfe no rio Eisbach, um braço do Isar que corta esse parque de quase quatro km².

Sobre a ponte Himmelreich é possível acompanhar os esportistas que surfam sobre ondas baixas de até um metro, formadas pela correnteza do rio que bate em blocos de concreto na água.

VEJA VÍDEO

LEIA TAMBÉM: “A 100 km do Ártico, spa de cerveja é atração inusitada na Islândia”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*