Brasileiro relata drama na Ucrânia

Wikimedia Commons

Terminou no início deste mês mais uma operação de evacuação de civis na região de Mariupol, às margens do Mar de Azov, no leste da Ucrânia.

UNOCHA/Kateryna Klochko

Segundo a ONU, o comboio foi responsável pela retirada de cerca de 600 civis.

UNOCHA/Kateryna Klochko

Um dos envolvidos nas ações é o brasileiro Saviano Abreu porta-voz do Ocha, Escritório Humanitário da ONU.

foto: Unsplash

Em nota da ONU, Abreu relatou o drama de civis que chegaram a ficar mais de dois meses enclausurados em uma siderúrgica de Azovstal.

UNOCHA/Kateryna Klochko

Saviano Abreu - porta-voz do Escritório Humanitário da ONU

“O principal impacto é o psicológico de pessoas que ficaram dentro de um bunker por mais de dois meses, sem acesso à água potável e com comida uma vez ao dia.”

Unsplash

Abreu descreve também o pavor causado pelos constantes barulhos causados pelos estrondos de bombas, sem que as pessoas pudessem saber exatamente o que estava acontecendo do lado de fora.

Wikimedia Commons

Em Zaporizhzhya, os civis tiveram assistência como alimentação com comida quente, água e produtos de higiene.

Wikimedia Commons

O porta-voz da ONU lembrou também que a evacuação em áreas em conflito é uma decisão voluntária, por isso algumas pessoas optaram por permanecer nas regiões de resgate.

ICRC

+ web stories

foto: Creative Commons