Gramado decreta estado de calamidade

Com 5.746 casos confirmados e taxa de ocupação de 100% nas UTIs da cidade, Gramado decretou estado de calamidade em todo seu território por conta da COVID-19.

O Rio Grande do Sul tem recorde de bandeiras pretas desde o último dia 19/2, quando o governo gaúcho adotou a medida em 11 regiões do estado.

A bandeira preta é adotada quando uma região tem baixa capacidade do sistema de saúde e alto risco de contaminação.

Principal destino turístico do estado, Gramado faz parte da região de agrupamento de Caxias do Sul, que inclui também Canela, Bento Gonçalves e Garibaldi.

Assinado pelo prefeito de Gramado, Nestor Tissot, o decreto proíbe eventos (públicos e privados), uso de áreas comuns e de lazer em hotéis; e abertura de cinemas, teatros e parques temáticos.

foto: Felipe Valduga/Flickr

O decreto inclui também redução de 50% na capacidade do transporte coletivo e 50% no número de funcionários no comércio, como padarias e mercados.

foto: Eduardo Vessoni

O decreto, "que reitera o estado de calamidade em todo território de Gramado", recomenda também  evitar aglomerações e viagens intermunicipais ou interestaduais.

foto: Divulgação

A cidade, que já seguia recomendações do governo de toque de recolher entre às 22h e 5h, voltou a adotar também barreiras sanitárias nas entradas da cidade, incluindo sanitização de veículos.

Segundo a imprensa local, a Páscoa deste ano também corre risco de ser cancelada, assim como outros eventos que já tinham sido adiados para o segundo semestre.

foto: PixabayCreative Commons)

É o pior momento que enfrentamos”

- Eduardo Leite (governador de estado)