O Carnaval 2021 que você não vai ver

Quem diria que, quase um ano depois da OMS declarar a pandemia de coronavírus, ainda estaríamos passando por tudo isso.

Desde então, o turismo e o entretenimento são uns dos setores mais afetados pela crise sanitária que parou o mundo.

Entre os próximos dias 15 e 17 de fevereiro, acontece o feriado mais esperado pelos brasileiros. Mas em 2021 ninguém vai botar o bloco na rua.

É a festa mais famosa do Carnaval brasileiro, que em 2020 movimentou só no Rio cerca de R$ 4 bilhões e teve 2,1 milhões de turistas.

RIO DE JANEIRO

RIO DE JANEIRO

Mas se tudo der certo, uma edição fora de época deve acontecer no Sambódromo, nos dias 11 e 12 de julho.

São Paulo

A cidade não só não é o túmulo do samba como também movimentou, em 2020, quase R$ 3 bilhões e 15 milhões de pessoas em 678 desfiles de rua.

Mas, recentemente, o governador João Dória cancelou o ponto facultativo nos dias de folia por conta do aumento no número de casos de coronavírus em São Paulo.

Em Salvador, a festa é em trios elétricos que circulam pelas ruas da capital baiana. Em 2020, um público recorde de 16,5 milhões de pessoas circulou por mais de mil apresentações musicais.

Olinda (PE) A festa nas ladeiras dessa cidade histórica acontece ao som de frevo e marchinhas. Em 2020, foram 3,6 milhões de foliões (400 mil deles, estrangeiros) e um movimento de R$ 295 milhões na economia local.

Galo da Madrugada É na capital pernambucana que acontece o maior bloco carnavalesco do mundo, segundo o Guinness Book. 

O centro histórico do Recife, capital de Pernambuco, também tem blocos de rua durante o Carnaval.

A folia é nas ruas e nas famosas repúblicas estudantis. Em 2019, essa cidade histórica mineira de 75 mil habitantes recebeu, diariamente, 45 mil pessoas.

OURO PRETO

DIAMANTINA

Mais familiar, o Carnaval nesse outro destino histórico de Minas Gerais acontece nas ladeiras da cidade. Em 2020, foram 55 cortejos, entre eles blocos centenário e para crianças.

MANAUS

A capital do Amazonas (e todo o Brasil) não tem motivos para festa. Mas em 2020, foram 110 bandas e blocos de ruas, cujo destaque foi o Carnaboi, homenagem à cultura indígena amazonense e ao boi-bumbá.

"O Carnaval 2021 que você não vai ver"

edição: Eduardo Vessoni fontes: prefeituras do Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Olinda, Recife, e secretarias dos estados de Minas Gerais e Amazonas.