Espírito Santo Últimas Viagens

Montanhas Capixabas: o turismo sobe a serra, no Espírito Santo

Não muito longe do mar de ilhas que recorta a geografia acidentada do Espírito Santo, o turismo capixaba sobe a serra, a pouco mais de 50 km da capital Vitória.

Saem as praias de águas esverdeadas de Guarapari, um dos destinos mais visitados do estado, e entram rochas de tons azulados, turismo rural e gastronomia com sotaque europeu.

Com influências alemãs, italianas, austríacas e polonesas, a Região das Montanhas Capixabas é formada por nove cidades: Afonso Cláudio, Brejetuba, Castelo, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Laranja da Terra, Marechal Floriano, Vargem Alta e Venda Nova do Imigrante.

Embora nem sempre lembrada na hora de se fazer turismo no Sudeste brasileiro, essa região central do estado é conhecida pelo turismo de aventura, mas também pela produção de orgânicos e culinária de influências europeias.

VEJA WEB STORIES


Montanhas Capixabas

* os atrativos da região estarão abertos de acordo com a classificação do mapa de Gestão de Risco da Covid-19.


Rota do Lagarto
Estrada cênica com cerca de oito km de extensão, entre a BR-262 e a Rodovia ES-164, oficialmente chamada de Rodovia Angelo Girardi.

Esse corredor verde, recortado por túneis naturais, passa pelo principal atrativo da região, a Pedra Azul, um maciço rochoso de granito a 1.822 metros de altitude, cujos tons vão do acinzentado ao azul, de acordo com a incidência de luz.

Rota do Lagarto (foto: Eduardo Vessoni)

A saliência que sai da rocha principal na forma de um réptil deu origem ao nome de outro ponto de interesse: a Pedra do Lagarto que, unida à Pedra Azul, parece escalar o cartão-postal da região.


Parque Estadual da Pedra Azul
(Domingos Martins)

Tem acesso pela Rota do Lagarto e é um dos parques mais visitados do Espírito Santo.

O local conta com trilhas como o Circuito da Base (2 km, ida e volta) até a base da Pedra Azul e paradas em mirantes; e a Trilha das Piscinas Naturais, caminhada íngreme (2,5 km, ida e volta) por cordas que levam a formações nas rochas que lembram ofurôs naturais de borda infinita e vistas da Serra Capixaba.

Parque Estadual da Serra Azul, na Serra Capixaba (foto: Argeone Herbst/MTur)



Fjordland
Parque com 120 hectares aos pés da Pedra Azul, cujo enfoque são os passeios a cavalo, em trilhas que duram de 20 minutos a 1h45.

Os roteiros passam por áreas de reflorestamento, cafezais e piscinas naturais da propriedade.

Ecoparque Pedra Azul Aventura
(Domingos Martins)

Em frente à Pedra Azul, na Fazenda Girardi, esse parque tem trilhas até a base da Pedra do Lagarto, rapel de 30 metros de altura e roteiros de quadriciclo com vista dos parques Pedra Azul, Forno Grande e Pico da Bandeira.

Ecoparque Pedra Azul Aventura (foto: Reprodução)


Parque Estadual do Forno Grande
(Castelo)
Abriga um dos pontos mais altos do Espírito Santo, o Pico do Forno Grande, maciço rochoso cônico a 2.039 metros de altitude e que pode ser visto de diversos pontos da região.

De acordo com o IEMA (Instituto de Meio Ambiente do Espírito Santo), o nome de sua atração principal tem origem na colonização italiana, quando imigrantes viam a rocha como uma representação em grande escala de seus fornos de assar pães.

Fica a mais de 20 km de Aracê, distrito de Domingos Martins, e tem caminhadas que vão de 290 metros de extensão (Trilha da Cachoeira) a 850 metros (Trilha dos Poços Amarelos, conhecida pelas piscinas naturais).

Parque Estadual do Forno Grande (foto: Eduardo Vessoni)


Venda Nova do Imigrante
Esse destino com atrativos como lago de pesca e rampa livre de asa delta e parapente fica a 66 km de Domingos Martins e a 103 km de Vitória.

Venda Nova é conhecida pelo turismo que acontece em propriedades rurais da cidade, considerada a Capital Nacional do Agroturismo, desde 2005.

A região é conhecida também pelos queijos, doces, morangos orgânicos, cachaças e o clássico socol, presunto cru de origem italiana, temperado com alho, pimenta e sal.

Venda Nova do Imigrante (foto: Vitor Jubini/MTur)


Deixe um comentário