Hotel dentro de vinícola é destaque a 100 quilômetros de Santiago, no Chile

Nem parece que a hiperativa capital chilena fica a apenas uma hora dali.

A neblina segue lenta entre corredores estreitos de vinhedos, trilhas demoradas sobre colinas levam a mirantes com vista para os Andes e almoços demorados harmonizam pratos com vinhos de uvas plantadas nos fundos de um casarão centenário.

Localizado na região de Valparaíso, o Vale do Rosário tem um olho voltado para o mar, a 19 km dali, e outro para a cordilheira da Costa, um cordão de montanhas baixas que protegem vales verdes.

E bem no meio disso tudo fica o hotel boutique La Casona, um casarão colonial do início do século passado, com apenas dez quartos, em meio à vinícola Matetic.

A propriedade até poderia ser um convite para passar o dia na piscina externa com vista para parreiras ou nas refeições de quatro tempos, harmonizadas com rótulos certificados com Denominação de Origem.

Mas o La Casona leva o hóspede além.

VEJA VÍDEO

LEIA TAMBÉM: “Chile é eleito melhor país para visitar”

Assim como a história dos antepassados dos atuais proprietários, a quarta geração de uma família de croatas que deixou Rijeka para recomeçar a vida na Patagônia chilena, em 1892, a programação no hotel é cheia de atividades externas que nos levam a cenários isolados.

“Há pouco trânsito e pouca gente no vale. Então, tem essa sensação de isolamento”, descreve o guia Christopher Eason.

E se isolar, por ali, significa fazer cavalgadas por vinhedos, acompanhado de um huaso, como são conhecidos os camponeses dos vales chilenos; pedalar, em meio a plantações de Sauvignon Blanc e Pinot Noir, até a vinícola Matetic, a 10 km de distância; ou fazer trilhas por rotas cênicas do Vale do Rosário.

Trilha Alto Bahamondes, no Valle del Rosario (foto: Eduardo Vessoni)

As caminhadas guiadas vão desde o tranquilo Sendero de los Sentidos que passa pela área de produção orgânica e biodinâmica da vinícola até a cenográfica Alto Bahamondes, uma trilha exigente que passa por corredores de cardos, quebradas e colinas com vista para o Pacífico e para a cordilheira dos Andes, em dias de céu claro.

Tanto as atividades ao ar livre como o tour de degustação podem ser contratados não só pelos hóspedes do hotel como também por visitantes.

“Nos transformamos em um destino de gente que está fazendo viagem dentro do Chile e não quer sair apressado de Santiago. Somo recomendados para o fim de uma viagem, para visitar um vinhedo ou terminar com mais aventura em um lugar tranquilo, antes de voltar para casa”, recomenda Eason.

Tour de bicicleta nos vinhedos da Matetic, vinícola chilena a uma hora de Santiago (foto: Eduardo Vessoni)

E se você vem do Atacama ou de terras patagônicas, só para citar alguns dos destinos chilenos mais procurados, a região é daqueles lugares para deixar a poeira baixar, organizar um pouco as ideias e voltar, sem pressa, pra casa. Como costuma ser tudo no Vale do Rosário.

LEIA TAMBÉM:
“Patagônia argentina ou chilena? Saiba quais são as diferenças e programe-se”
“Trilha passa por área selvagem do Oceano Pacífico, em Chiloé, no Chile”
“Arquipélago de Chiloé é o Chile isolado que você precisa conhecer”

Almoço harmonizado
Seja qual for a atividade, seu roteiro deve terminar com um almoço no Restaurant Equilibrio, conhecido pelo menu harmonizado com vinhos das linhas Corralillo e Equilibrio.

Em uma sequência de quatro pratos, a experiência começa com carpaccio de atum, servido com Pinot Noir; segue com risoto de locos e aspargos, harmonizado com Chardonnay; e termina com cheescake de queijo de cabra, harmonizado com Riesling D.O. Casablanca. O cordeiro cozido, lentamente, em molho de vinho Syrah e servido com uma taça do premiado Equilibrio Syrah D.O. San Antonio é daqueles pratos que faz a gente querer começar tudo de novo.

Tour e degustação de vinhos
Fora da rota do enoturismo de massa do Chile, a vinícola Matetic é quase uma exclusividade, em tours com grupos pequenos que acontecem em quatro horários diferentes, de acordo com a linha de vinho escolhido (a partir de 14 mil pesos chilenos / 20 dólares, aproximadamente).

Vinícola Matetic, no Valle del Rosario, no Chile (foto: Matetic/Divulgação)

A visita de uma hora passa pelo edifício principal da vinícola, um projeto audacioso de Laurence Odfjell que leva a adega para debaixo da terra, sob um tapete verde que mantém a temperatura ideal para as barricas de roble francês que repousam em uma cave de paredes cobertas com pedras de rio.

O tour inclui também a sala envidraçada de fermentação em tanques de aço inoxidável e termina, claro, com degustação de quatro rótulos (Sauvignon Blanc, Pinot Noir, Chardonnay e Shyraz, acompanhados de tábua de queijos).

Considerada a única vinícola com vinhos 100% orgânicos e biodinâmicos em todo o Chile a contar com atividades de enoturismo, a Matetic tem quase 10 mil hectares, incluindo as plantações de Pinot Noir e Chardonnay, no Valle Hermoso (D.O. Casablanca) e em El Rosario (D.O. Santo Antonio), onde são plantados também Gewürztraminer e Sauvignon Blanc.

E aquele cenário não só inspira experiências cenográficas mas também a produção de vinhos.

Vista do Valle del Rosario, no Chile (foto: Eduardo Vessoni)

Noites frias, manhãs com neblina e brisa constante, devido à proximidade com o oceano Pacífico, são características locais que podem ser notadas no frescor dos vinhos locais.

“Nossos solos são de muita argila, quartzo e granito. Então você vai sentir mais essa mineralidade no nosso vinho”, explica Joseline Plaza, responsável pelas visitas com degustação da Matetic.

Degustação de vinhos na vinícola Matetic, do Valle del Rosario, no Chile (foto: Matetic/Divulgação)

Curiosamente, a primeira safra da vinícola, em 1994, foi de Syrah, uma uva desaconselhada para cultivos em regiões de clima frio. De sabor marcante e aveludado, com notas de frutas negras e terra úmida, o Syrah Equilibrio foi incluído pela revista Wine Spectator, em 2006, como um dos 100 melhores do mundo.

SAIBA MAIS
ONDE FICAR
La Casona
Os programas do hotel vão desde diárias com meia pensão com vinho da linha Corralillo e tour de degustação incluídos até estadias completas com excursões no Valle del Rosario
a partir de US$ 225 com meia pensão e US$ 325 com pensão completa (valores por pessoa, em quarto duplo). www.matetic.com

La Casona, hotel da vinícola Matetic, no Sul (foto: Matetic/Divulgação)

ONDE COMER
Equilibrio
Com cardápio variado e regional, como empanadas de cordeiro, peixes, abalones e carnes vermelhas, esse restaurante é conhecido pelo almoço harmonizado com vinhos Matetic (43 mil pesos chilenos / 63 dólares, aproximadamente). Aberto apenas para almoço. reservas@matetic.com

Restaurante Equilibrio (foto: Matetic/Divulgação)

Emporio
Mais informal, esse pequeno restaurante fica na loja de vinhos da vinícola Matetic e tem cardápio enxuto com cremes opções de carne ou peixe.

O local abriga também o Vuelo de Vino, uma versão reduzida de degustação dos vinhos da vinícola, em doses de 50ml, divididos em quatro temas: Corralillo, Equilibrio, Brancos do Pacífico e Tintos de Clima Frio (a partir de 6.500 pesos chilenos, por pessoa / 9,64 dólares, aproximadamente). reservas@matetic.com

Como chegar
A vinícola Matetic fica a uma hora do aeroporto de Santiago, aproximadamente, e a 50 minutos de Valparaíso.

Para circular na região, o mais recomendado é alugar um carro em Santiago ou contratar os serviços de transfer particular com guia (www.chilerules.com / USD$110 para grupos de até 4 pessoas, em tours de 9 horas pela região do Valle de Casablanca). 

* O Viagem em Pauta viajou ao Chile a convite da vinícola Matetic e do hotel Tierra Atacama

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*