Confira curiosidades do Aeroporto de Congonhas

Mais do que um dos principais terminais aéreos do Brasil, o ilustre “cidadão paulistano” nasceu como uma espécie de nova opção de lazer e turismo em São Paulo.

Há mais de 80 anos, em 12 abril de 1936, era inaugurado o então Campo de Aviação, na Vila Congonhas, no distrito de Campo Belo, em uma época em que a cidade contava com inocentes 1,2 milhão de habitantes.

Com uma plateia curiosa de 8 mil pessoas , aproximadamente, aquela “tarde de aviação”, como ficou conhecida a inauguração do novo terminal de São Paulo, foi marcada por exibições de pilotos civis e militares. Teve até aviador que cobrou 50 mil réis por dez minutos de voo.

Nascia então um aeroporto tão frenético quanto a própria cidade de São Paulo.

Vista aérea do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (foto: Wikipedia Commons)
Vista aérea do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (foto: Wikipedia Commons)

Até os anos 90, os moradores da capital adotaram o passeio a Congonhas como um típico programa de domingo, com direito a visitas ao terraço panorâmico do primeiro andar do saguão central.

Era muito comum também ver noivas utilizarem o aeroporto como cenário para fotos e, à noite, o café local era ponto de encontro da boemia paulistana, um dos poucos de São Paulo aberto 24 horas por dia.

Aquele novo terminal aéreo paulistano foi construído pela companhia Auto Estradas, às margens da Autoestrada Santo Amaro, e sua pista experimental, feita em 20 dias, era de terra e tinha apenas 300 metros de extensão.

Atualmente, o Aeroporto de Congonhas conta com duas pistas (1.940 e 1.434 metros de extensão, cada uma), em uma área total de 1,6 milhão m².


LEIA TAMBÉM: “Passageiros elegem as 10 melhores companhias aéreas do mundo”

VEJA FOTOS HISTÓRICAS DE CONGONHAS

Congonhas hoje
Anualmente, mais de 19 milhões de passageiros passam por ali, em mais de 200 mil pousos e decolagens.

Mas a queda no movimento seria sentida, em 1985, com a transferência dos voos internacionais para o recém-inaugurado Aeroporto de Guarulhos, movimentação que só foi recuperada, a partir de 1990, quando Congonhas voltou a ser o mais movimentado do País, cujo carro-chefe das operações era a ponte aérea São Paulo-Rio.

Nos últimos anos, Congonhas ganhou também 12 novas pontes de embarque, pondo fim à circulação de passageiros pelo pátio; um edifício-garagem de 60 mil m² com mais de 3 mil vagas cobertas e descobertas; e nova torre de controle, com 44 metros de altura.

Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (foto: Infraero/Divulgação)

Desde 2015, os monitores próximos aos portões de embarque remoto e às esteiras de bagagem exibem mensagens em Libras (Língua Brasileira de Sinais), uma das medidas de acessibilidade do aeroporto.

Segundo estudo do Official Airline Guide (OAG), consultoria britânica de monitoramento de viagens aéreas, Congonhas é o 2º megahub mais pontual do mundo (87,81%), superado apenas pelo Aeroporto Internacional Haneda, em Tóquio. Nesse quesito, o Aeroporto (91,25%).


LEIA TAMBÉM: “Conheça a região da Suíça que inspirou o bairro Interlagos, em São Paulo”

CURIOSIDADES
⇒ O nome Congonhas é uma homenagem ao Visconde de Congonhas do Campo, Lucas Antônio Monteiro de Barros (1823-1851), primeiro governante da Província de São Paulo, após a Independência do Brasil, em 1822;

⇒ Em 1957, tornou-se o 3º do mundo no total de carga aérea , atrás apenas de Londres e Paris;

⇒ A 1ª estação de passageiros foi inaugurada, nos anos 40, cuja estrutura em estilo art déco seria substituída por um novo terminal, em 1956;

Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (foto: Infraero/Divulgação)
Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (foto: Infraero/Divulgação)

⇒ A 1ª torre de controle foi inaugurada, em 1951;

⇒ Em 10 anos de funcionamento, entre 1941 e 1952, Congonhas aumentou em 100 vezes sua capacidade. Nos anos 60, o aeroporto ultrapassava a casa de 1 milhão de passageiros por ano;

⇒ Em uma época de efervescência cultural, Congonhas recebeu nomes ilustres como a atriz Marlene Dietrich e o cantor Nat King Cole, considerados passageiros frequentes do aeroporto;

⇒ O piso de quadrados em placa de granito preto e mármore branco, existente até hoje, foi uma das melhorias adotadas no aeroporto, em 1968;


⇒ A partir de 1981, ano em que a Infraero assumiu a administração de Congonhas, várias intervenções foram realizadas no terminal, como o prolongamento de sua pista para 1.940 metros, facilitando assim a manobra de aeronaves maiores, como o Boeing 727;

⇒ Com uma área aproximada de 1,5 km², Congonhas é considerado o aeroporto executivo do Brasil;

⇒ Desde 2008, por determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o local se chama Aeroporto de São Paulo/Congonhas;

⇒ Atualmente, o aeroporto tem voos para 30 destinos brasileiros.

(*com informações da Infraero)

6 Comentários

  1. A verdadeira história, é que a Autovia apenas construiu o aeroporto , a área pertenceu a Dolor Bernardino do Carmo , um oficial da guarda do palácio do governo , que propôs ao governo da época , a desapropriação de suas áreas , uma para o aeroporto , e outra para uma represa , que abastece a zona leste de SP até os dias de hoje , adutora do rio claro Sabesp , esses decretos de indenizaçoes , estão inserido no site do governo do estado de SP , desde a década de 30 ..e manipulado pela falta de informações..

  2. A empresa Autovia em 1947 , apenas construiu a obra e manipulou a realidade área , devido à falta de informação da época . A área que se deu origem ao nascimento do aeroporto ou um campo de aviação de SP , dentro dos padrões necessários da época , foi do Sr. Dolor Bernardino do Carmo , uma história independente da obra ..

    • Esqueceram de citar que meio t os bailes de formatura aconteceram no salão de festa existente em meados dos anos 60 ..70.
      Eu adorava!!! Para mim era o melhor lugar para passear e sonhar com a possibilidade de voar pelo MUNDO.
      Marli Bueno

  3. Esqueceram de citar que meio t os bailes de formatura aconteceram no salão de festa existente em meados dos anos 60 ..70.
    Eu adorava!!! Para mim era o melhor lugar para passear e sonhar com a possibilidade de voar pelo MUNDO.
    Marli Bueno

  4. Trabalhei em congonhas, em meados dos anos 2000, na extinta livraria laselva bookstore, era um luxo ver as pessoas passeando aos finais de semana por aquele saguão, presenciei fatos marcantes como o velorio do comandante Rolim amaro, dono da tam, enfim…Amo aviação e em especial congonhas que para mim é o aeroporto mais charmoso que ja estive.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*