Como é o ‘Circuito das Águas Paulista’, no interior de São Paulo

De compras de malhas à atividades na natureza e de esportes de aventura a passeios culturais, o ‘Circuito das Águas Paulista’ é um roteiro turístico que abriga nove cidades de regiões montanhosas do interior de São Paulo, em destinos a a 127 km da capital, aproximadamente.

É ali que ficam destinos temáticos como a Capital Nacional da Água Mineral, a Capital Brasileira do Termalismo, a Capital Nacional das Flores e até uma cidade que fez da aventura sua principal atividade turística.

Situado na Serra da Mantiqueira, esse consórcio criado em 2004 é formado pelos municípios de Águas de Lindoia, Lindoia, Amparo, Socorro, Holambra, Jaguariúna, Monte Alegre do Sul, Pedreira e Serra Negra.

Fontana di Trevi (foto: Prefeitura de Serra Negra/Reprodução)


Cidades do ‘Circuito das Águas Paulista

Águas de Lindoia
A 160 km de São Paulo, a Capital do Termalismo é conhecida por suas águas termais de propriedades minerais, analisadas e constatadas por ninguém menos do que a prêmio Nobel de Química, a cientista Madame Curie.

Uma de suas atrações mais populares é o Balneário Municipal, equipado com salas de banho e piscinas de água mineral com um dos mais altos índices de oxigênio do mundo.


Lindoia
Já a vizinha Lindoia é declarada a Capital Nacional da Água Mineral, onde 40% da produção distribuída no Brasil sai desse destino, a 157 km de São Paulo.

Entre os atrativos turísticos estão o Grande Lago e as cachoeiras do Rio do Peixe.

foto: Circuito das Águas/Reprodução

LEIA TAMBÉM: “6 atrativos para se refrescar na cidade de São Paulo”

Amparo
Essa cidade a 130 km da capital é a versão histórica do Circuito e abriga um bem preservado patrimônio arquitetônico, como os casarões e fazendas da época do Ciclo do Café.

O turismo local gira em torno também das produções de queijos e cachaças artesanais.


Holambra
Conhecida pela alta produção de flores, daí o título Capital Nacional das Flores, essa cidade a 132 km da capital é responsável por cerca de 50% do mercado florista do Brasil.

Tem arquitetura inspirada na Holanda e abriga a maior exposição de flores do continente, o Museu da Imigração e um moinho, em homenagem aos 60 anos da chegada dos imigrantes holandeses.


Jaguariúna
Fica a 130 km da capital e tem atrações como museu ferroviário, a histórica Fazenda da Barra e a Estação Ferroviária de Jaguariúna, tombada pelo Condephaat.

Um dos principais pontos turísticos da cidade é o primeiro cable park da América Latina, onde são realizados esportes aquáticos radicais, como wakeboard, kneeboard e wakeskate, através de um sistema de cabos presos em torres que dispensa a utilização de barcos de reboque.

foto: Circuito das Águas/Reprodução

LEIA TAMBÉM: “4 destinos turísticos diferentões em São Paulo”


Monte Alegre do Sul
Esse simpático município a 129 km da capital tem atrativos rurais, termais e religiosos.

Entre os destaques estão o pontilhão da Mogiana sobre o Rio Camanducaia, uma estrutura metálica importada dos EUA, em 1887, e uma locomotiva de 1910, em exposição na antiga Estação da Mogiana, no atual Centro Cultural José Peschiera.


Pedreira
A Capital da Porcelana tem mais de 300 estabelecimentos, entre fábricas e lojas, que produzem e comercializam louças, porcelanas, cerâmicas e objetos em madeira, entre outros.

Esse destino turístico com quase 50 mil habitantes fica a 135 km de São Paulo e é endereço de atrativos como o Morro do Cristo, onde acontece anualmente o colorido Festival de Pipas, e manifestações culturais como a Orquestra de Violeiros e a Corporação Musical Sant’Ana, fundada há mais de 125 anos.


Serra Negra
Conhecido como a Cidade da Saúde, esse município a 150 km de São Paulo é famoso pelo passeio com 1.400 metros de extensão, em um teleférico até a estátua do Cristo Redentor, e pelas terapêuticas águas minerais em fontes públicas localizadas em diversos pontos.

Atualmente, Serra Negra inaugurou a polêmica réplica local da Fontana di Trevi, em Roma, em homenagem à imigração italiana na cidade, durante o século 20.

foto: Divulgação

Socorro
Mais do que ‘Cidade da Aventura’, o destino é conhecido também pelo turismo rural em alambiques, pelas compras de roupas em um dos maiores polos do gênero em todo o estado de São Paulo e até por abrigar uma das maiores cavernas de granito do Brasil.

Fica a 140 km da capital paulista e conta com uma variedade de parques com atividades de aventura, como rapel, rafting e circuito de tirolesas.

SAIBA MAIS: ‘O que fazer em Socorro’

8 Comentários

  1. Socorro é uma maravilhosa cidade. Se vier vai se apaixonar. A Feira de Malhas é uma delicua… vale a pena conhecer esta cidade fantástica

  2. Cidades ótimas para passear.
    Gastronomia com variedades.
    Tranquilidade.
    Hotéis com refeições maravilhosas..
    Belo café da manhã.
    Super recomendo..

  3. Infelizmente, as pessoas não têm como chegar a esses destinos saindo do interior de São Paulo. De carro, tudo bem. Mas, de ônibus, é quase que impossível. Tem que ir até Campinas e pegar um ônibus que demora em média, 3 horas para se chegar à Serra Negra ou Águas de Lindoia-sp. É cansativo e desencorajados, especialmente para os idosos (acima dos 60 anos).Direto de Campinas, só tem a Rodoviária de Serra Negra.Tem que pegar UBER ou táxi. Até hoje,.ninguém se propôs a ver isso.

  4. Essas cidades são próximas uma das outras? Moro em Niterói e sempre quis fazer turismo nessa região, mas gostaria de conhecê-las todas de uma só vez; quem sabe num fim de semana prolongado – 5a a domingo.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*