Pitimbu é a nova aposta do litoral da Paraíba

Nem a frase “dos olhares não te escondas” do hino da cidade parece ter sido suficiente para atrair, nos últimos anos, a atenção dos paraibanos para esse destino do extremo sul do estado.

Mas sempre tem uma Paraíba a ser descoberta.

A 65 km da capital João Pessoa, Pitimbu é considerada a maior orla de todo o litoral paraibano. São 26 km de faixas de areia, 13 praias e 4 estuários.

E ainda assim poucos conhecem esse que é um dos mais novos destinos turísticos da costa desse estado com apenas 138 km de litoral, espremido entre Pernambuco e o Rio Grande do Norte.

Estuário do Abiaí, em Pitimbu, na Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

“Por passar tanto tempo despercebido, tem muitos lugares preservados em Pitimbu. É uma paisagem ainda intocada”, explica Francisco Pinheiro, secretário de Turismo e Meio Ambiente da cidade.

E no caso de Pitimbu, isso significa almoçar em piscinas naturais, fazer passeios de quadriciclo por praias isoladas, caminhar em mirantes sobre falésias avermelhadas e ter um destino, praticamente, só para você.

VEJA VÍDEO

“Pitimbu está se descobrindo e quer se mostrar para o resto do Brasil, com foco na gastronomia e na hospitalidade. Mas tem também beleza cênica e potencial turístico.”
(Francisco Pinheiro – secretário do turismo e meio ambiente)

Embora ainda seja um produto turístico novo da Paraíba, a cidade já era famosa pelos pernambucanos que desembarcavam ali para fugir dos endereços saturados do litoral vizinho. São apenas 30 km de Goiana e 100 km do Recife.

Para dar conta dos turistas que chegam durante a alta temporada, quando a população local salta de 20 mil para 60 mil pessoas, esse destino rústico passou, recentemente, por qualificação dos profissionais das áreas de hotelaria, alimentação e passeios.

LEIA TAMBÉM: 
“Trilha do Caranguejo Uçá é a Paraíba extrema que vai do mangue ao mar”

O que fazer em Pitimbu

Piscinas naturais do Farol

fotos: Eduardo Vessoni

A 1,5 km de distância da orla da Praia de Pitimbu, esse atrativo natural só pode ser visto em dias de maré baixa e é uma alternativa para quem quer fugir de outras piscinas naturais, já saturadas no Nordeste.

Na última temporada de verão, um resort na Reserva do Abiaí estava por lançar um catamarã que passaria a fazer travessia até as piscinas em alto mar. Mas a experiência mais genuína ainda é contratar alguns dos pescadores (R$ 200 para até 12 passageiros) que partem da Praia de Pitimbu e preparam almoço a bordo.

Quadriciclo

Com cerca de uma hora de duração, esse passeio percorre 9 km de praias, em um quadriciclo conduzido pelo próprio turista.

Após um breve treinamento na Praia Bela, os participantes são conduzidos por um guia que faz paradas nos mirantes Árvores Tortas e Som das Falésias, de onde se tem vista panorâmica dos paredões avermelhados que se debruçam sobre o mar.

Uma das paradas é na praia da Barra do Abiaí, no encontro do mar com o rio Abiaí. R$ 150 (duas pessoas) / Ecotrilhas Pitimbu (83) 9 8213-2036

Estuários

Essa área de transição entre o rio e o mar é um dos cenários mais famosos de Pitimbu.

O melhor estruturado é o Estuário do Mucatu, na Praia Bela, equipado com restaurantes, banheiros e passeios como quadriciclo, tirolesa sobre o rio e caiaque.

Outra opção é o belo Estuário do Rio Abiaí, destino dos passeios de quadriciclos que saem de Praia Bela.

Mais isolados e com cenário selvagem, os estuários do Graú, no limite com Conde, e o do Rio Goiana, na praia da Pontinha, no extremo sul da cidade, completam a lista dos quatro estuários de Pitimbu.

VEJA TAMBÉM: “Praia do Jacaré, na Paraíba, tem nova estrutura para turistas”
Onde comer
Ainda é difícil fazer refeições depois que o sol se põe, sobretudo fora da alta temporada que costuma ir de dezembro a fevereiro.

Quando fecham os 12 restaurantes na Praia Bela, o endereço com melhor estrutura em todo o destino, as únicas opções para os visitantes são os restaurantes dos próprios hotéis ou reservas feitas, antecipadamente, nos estabelecimentos de Praia Bela. A alternativa é a cidade de Conde, a cerca de 45 km dali.

Praia Bela, a faixa de areia melhor estruturada de Pitimbu, no litoral sul da Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

Não deixe de provar a meca grelhada, conhecida como a “picanha do mar”, do Restaurante do Caldinho (83- 99155-2689 / 99311-7971), com mesas de frente para o estuário do rio Mucatu; e o peixe na grelha do Bar da Peixada (83- 99157-7470), também na Praia Bela.


SAIBA MAIS
Turismo da Paraíba
www.destinoparaiba.pb.gov.br


Como chegar

De carro, o caminho mais rápido é pela BR-101, em direção ao litoral sul da Paraíba, passando pela cidade de Conde, de onde se toma a PB-008. A viagem dura menos de uma hora.

Para quem vai de ônibus, nem sempre a melhor opção, há apenas uma única saída de João Pessoa, às 16h30, pela empresa PB Rio (R$ 18). A viagem dura cerca de duas horas.

No sentido contrário, em direção à capital paraibana, os ônibus saem de Pitimbu, às 5h40, e o trajeto é feito em cerca de 1h20.

Outra opção são os táxis coletivos, conhecidos como “alternativo” e a passagem custa cerca de R$ 25 por pessoa, saindo da lagoa do Parque Solon de Lucena.
Do aeroporto, a corrida custa, aproximadamente, R$ 150.

Estuário do Graú, em Pitimbu, na Paraíba (foto: Eduardo Vessoni)

Centro Turístico de Pitimbu
Curiosamente, o local não abre nos finais de semana, quando há maior número de visitantes, mas funciona de segunda a sexta, das 8h às 15h.
Ainda assim, este é o melhor local para solicitação de informações e recomendações de passeios e serviços.
Avenida Antonio Tavares, s/n – Centro / (83) 3299-1016

Onde ficar
Para esta matéria, o Viagem em Pauta se hospedou na Pousada Aconchego, em Praia Bela, a 14 km antes da entrada para Pitimbu.

Administrada por uma paulista naturista, esta é uma das três únicas opções de pousada na praia mais famosa do destino. São 15 apartamentos espaçosos, alguns deles com varanda para o jardim interno e a piscina de mosaicos azulados.

A diária para casal varia de R$ 175 a R$ 220, segundo o dia da semana.

VEJA TAMBÉM


* O Viagem em Pauta viajou com apoio da PBTur e da Pousada Aconchego
* No vídeo que ilustra essa matéria, tivemos a honra de contar com a trilha sonora cedida pela Cabruêra, banda paraibana de Campina Grande.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*