Livro infantil bilíngue, em português e xhosa, é viagem pela África do Sul

P

ara começar sua história sobre o desejo de ser grande, o pequeno Tshepo solta um prolongado ‘sshhhhhh’.

O menino quer crescer para alcançar as coisas no alto do armário. Mas, sem saber, acaba dando voz a um dos continentes mais esquecidos do planeta branco.

Escrito originalmente em inglês e na clicante língua xhosa, ‘Grande Assim’ de Mhlobo Jadezweni é uma homenagem a um dos onze idiomas oficiais da África do Sul, terra natal do autor.

Mas não se trata apenas de um livro sobre ser grande ou defender línguas em via de desaparecer.

LEIA TAMBÉM: “Coral infantil é atração turística da África do Sul”

Os tons opacos e amarelados das ilustrações de Hannah Morris são uma viagem pela aridez da savana africana e colocam luz sobre assuntos como resolução de problemas, autoestima, aceitação, consciência ambiental e oportunidade para jovens e crianças (e a África negra sabe bem quanto custa a ausência desse último tema).

No Brasil, lançado pela editora Peirópolis, ganhou não só uma edição bilíngue em que o português divide as páginas com aquele idioma buntu, mas também uma versão gravada em xhosa na voz do próprio autor.

A obra faz parte da coleção “Peirópolis Mundo”, em que o livro conta com o áudio da narração da história no idioma original, como ‘A origem do beija-flor’, em língua indígena maraguá. OUÇA AS NARRAÇÕES

imagem: Editora Peirópolis/Divulgação

VEJA TAMBÉM: “África do Sul pela 1ª vez: confira dicas e roteiros”

Para os brasileiros, é poesia bilíngue e inédita em um país continental, linguisticamente auto suficiente; para o escritor Jadezweni é apagar os ecos dos tempos do apartheid, “quando idiomas como o isiXhosa não tinham status algum”.

Por aqui, o exemplo mais famoso entre os brasileiros mais crescidinhos é a cantora sul-africana Miriam Makeba que fazia os sons explodirem na boca para entoar canções como ‘Qongqothwane’, canto tradicional xhosa, e a pop ‘Pata Pata’.

Sshhhhhh, a história vai começar

Professor no departamento de Línguas Africanas da Universidade de Stellenbosch, na Província do Cabo Ocidental, na África do Sul, o autor Mhlobo Jadezweni é um dos defensores dessa língua de cerca de oito milhões de falantes que, em seu país, vem perdendo espaço para o inglês.

Como ele mesmo explica em entrevista para um site de notícias sul-africano, a obra foi escrita originalmente em xhosa, antes de ser traduzida para o inglês. “A maioria dos livros infantis é traduzida do inglês e muitas vezes as traduções não são boas”, resume Jadezweni.

Trecho de ‘Grande Assim’, livro publicado no Brasil em versão bilíngue, em português e xhosa (imagem: Editora Peirópolis/Divulgação)

Um dos destaques dessa poesia breve que chega quase como música para o leitor de ‘Grande Assim’ é a onomatopeia presente ao longo do livro que, na edição brasileira, ganha uma versão em português que se aproxima do texto original sul-africano.

Assim, o ‘tshu-u-u’ do banho de mangueira vira ‘chuá! chuá!’, o ‘shu’ para espantar formigas é ‘xô’, e a ventania no vilarejo faz ‘vuth-u-u’.

É livro para ler, ouvir e refletir. Mas só se você prometer ficar quietinho. Sshhhhhh!

LEIA TAMBÉM: “Dormindo com leões: clássico da hotelaria completa 40 anos, na África do Sul”

SAIBA MAIS
“Grande Assim” / “UTshepo Mde
de Mhlobo Jadezweni

36 páginas

preço sugerido: R$ 41

www.editorapeiropolis.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*