Barra do Cahy: a primeira praia do Brasil

Durante décadas, Porto Seguro levou a fama de ser a primeira praia do Brasil (aquela onde os portugueses tiveram o ‘achamento desta vossa terra nova’).

Mas foi na discreta Barra do Cahy, no extremo sul da Bahia, que aqueles europeus pisaram, pela primeira vez, em território que viria a se tornar o Brasil.

Localizada no município de Prado, essa faixa de areia recebeu em 2017 o título de “1ª Praia do Brasil”. De acordo com pesquisadores e historiadores, o local descrito na carta de Pero Vaz de Caminha, em 1500, seria Barra do Cahy, onde a tripulação de Pedro Álvares Cabral fez a primeira parada estratégica por 40 horas antes de chegar em Porto Seguro.

Vista aérea da Barra do Cahy, no sul da Bahia (foto: Divulgação)

Atualmente, a praia abriga a réplica de uma cruz de madeira e um trecho da carta de Caminha, onde se lê: “Barra do Cahy, aqui nasceu o Brasil”.

“Além do valor histórico, Barra do Cahy possui também um valor geográfico e cultural de grande importância. O berço da nação brasileira começou em Barra do Cahy”, define o prefeito de Prado, Gilvan da Silva Santos, em nota enviada ao Viagem em Pauta.

VEJA VÍDEO DA BARRA DO CAHY

SAIBA MAIS: “Como chegar em Prado, no sul da Bahia”

O QUE FAZER EM PRADO

Praias desertas, extensas faixas de areia virgens e ‘muita quantidade de ervas compridas, a que os mareantes chamam botelho’, em referência às algas descritas na histórica carta de Pero Vaz de Caminha.

Urbanizada e com a melhor infraestrutura da região, Prado tem um centro pouco convidativo para quem busca cenários nordestinos paradisíacos.

Mas antes de colocar os pés nas praias mais afastadas desse litoral de 84 km de faixas de areia (a maioria delas desertas), vale uma passada nas praias do centro, como as urbanas Coqueiral, Novo Prado e Lagoa Pequena (geralmente uma grande faixa de areia batida com algumas barracas).


Beco das Garrafas
Esse polo gastronômico no centro histórico de Prado fica em um calçadão da rua Ruy Barbosa e tem nome inspirado na travessa homônima carioca.

O endereço baiano abriga restaurantes que funcionam em casas coloridas, do século 19, com iluminação cênica que dá ar colonial ao local.

Beco das Garrafas, em Prado (foto: Márcio Filho/MTUR)

Praias isoladas
Entre Prado e Cumuruxatiba, uma estrada simples à beira mar (BA-001) leva visitantes a uma sequência de praias isoladas do extremo sul da Bahia.

No roteiro de nove praias, aproximadamente, o visitante pode chegar de carro ou de bicicleta, passando por faixas de areia, aos pés de falésias coloridas com até 40 metros de altura.

Seja qual for a opção de transporte, a viagem vale pela possibilidade de ir de praia em praia, em trechos de litoral, onde você será o único por ali, como a sugestiva Praia do Segredo.

Praia das Ostras, no litoral norte de Prado, na Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

Um dos lugares mais exclusivos do sul da Bahia é Cumuruxatiba, mais conhecido como Cumuru. Esta é a versão familiar do extremo sul baiano, com praias de águas calmas e rasas.

É nesse distrito de Prado que o visitante embarca nos passeios de barcos por mangues da Barra do Cahy, onde o mar se encontra com o rio Caí, e Corumbau, o último destino do município, ao lado de Caraíva, em Porto Seguro.

Outro destaque da região é o Recife de Guaratiba, recife de corais que aflora na maré baixa, onde é possível praticar mergulho livre em meio peixes e corais.

Final de tarde em Cumuruxatiba, no extremo sul da Bahia (foto: Eduardo Vessoni)

LEIA MAIS: “Cumuruxatiba é um dos últimos litorais intactos da Bahia”

Barra do Cahy
Por mar, o visual continua o mesmo daqueles das descrições apaixonadas de navegadores estrangeiros que acabavam de achar o Brasil selvagem, lá no século 16.

Aliás, sabe aquela história de que o Brasil português começou em Porto Seguro? Nesse roteiro a gente descobre que não foi bem assim.

No encontro do mar com rio é possível fazer também passeios de barco nos corredores estreitos do rio Caí, passando pelo mangue e por pequenas florestas.


Do mar, ainda dá para ver o histórico Monte Pascoal, o primeiro pedaço de terra visto pelos navegadores portugueses e descrito na detalhada carta de Pero Vaz de Caminha.

Na maré baixa, não é raro ver banhistas que seguem a pé de Cumuruxatiba, a 12 km dali, e que retornam, no final da tarde, com o apoio de agências locais.

VEJA FOTOS ABAIXO OU NO LINK

Parque Nacional Marinho dos Abrolhos
A região de Prado fica na Costa das Baleias, nome em homenagem à migração de baleias jubartes que visitam o sul da Bahia, entre junho e outubro.

Anualmente, esses gigantes deixam a Antártica em direção à costa brasileira, em busca de áreas de águas mornas e rasas para acasalamento e criação de filhotes.

Em Caravelas, a 50 km de Prado, é possível embarcar nos barcos que fazem observação de baleias em Abrolhos, a quatro horas dali, aproximadamente.

Farol da Santa Bárbara, visto da ilha Siriba, em Abrolhos (foto: Enrico Marcovaldi/Instituto Baleia Jubarte)

Primeiro parque nacional marinho do Brasil, essa área preservada criada em 1983 abriga umas das maiores biodiversidades do país.

Esse arquipélago formado por cinco ilhas tem desembarque autorizado apenas na Siriba, onde é realizada uma breve caminhada de 200 metros, acompanhada por monitores ambientais que levam os visitantes até ninhos de atobás-brancos.

O que fazer em Abrolhos

Melhor época para visitar Abrolhos

Como chegar em Abrolhos

Para quem não mergulha com cilindro ou tem pouco tempo para explorar Abrolhos, a alternativa são os passeios de um dia que incluem atividades como snorkeling e observação de aves.

Mas a melhor forma de conhecer o arquipélago é a bordo de liveaboards que fazem roteiros de três dias, explorando ilhas e pontos de mergulho do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos.

Baleia jubarte em Abrolhos (foto: Projeto Baleia Jubarte/Divulgação)

SAIBA MAIS: “Saiba como é viajar em um liveaboard, em Abrolhos, na Bahia”

* com informações do Viagem em Pauta e da Secretaria de Turismo de Prado/BA

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*